A construção identitária nas aulas de educação física

Por: Marcos Vinicius Pereira Monteiro.

Revista Brasileira de Educação - ANPED - v.22 - n.69 - 2017

Send to Kindle


Resumo

Este artigo discute a construção identitária e sua relação com as aulas de educação física valendo-se de significados construídos por estudantes. Influenciadas pela sociedade, as construções identitárias dos diferentes sexos são bastante díspares quanto às suas relações com as atividades físicas. Para buscar um melhor entendimento sobre o tema, são analisados o masculino e o feminino como criações culturais, às relações de gênero e poder e o processo de criação de corpos dóceis. O estudo foi realizado em uma escola estadual em Nova Iguaçu/RJ, e os dados foram obtidos por meio da realização de entrevistas com alunos/as do 3° ano do ensino médio. Após a utilização da técnica de análise de conteúdo, os resultados demonstraram que ao final do ensino médio, na escola estudada, a educação física auxilia na construção identitária dos/as alunos/as que representam o masculino como superior, naturalizando a sua maior participação e desempenho nas aulas da disciplina.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-24782017000200339&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.