Meio Ambiente e Esporte - Produção do Conhecimento

Por: Carmem Luisa B. A. da Costa.

Atlas do Esporte no Brasil.

Send to Kindle


Resumo

As relações do meio ambiente com a prática esportiva têm sido admitidas historicamente por três abordagens principais: a que constata uma redução no desempenho físico por efeito negativo sobre o corpo do praticante (exemplo: calor excessivo), aquela que identifica o esporte como poluidor da natureza – ou mesmo destruidor – (exemplo: esportes de inverno em locais naturais), e a que atribui ao esporte a faculdade de proteger o meio ambiente (exemplo: surfistas protetores de seus points em praias). Estas três interpretações têm semelhança com o que tem acontecido com o trabalho no campo e nas fábricas, sobre o qual os excessos geram ineficiência e contaminação, e o equilíbrio pode produzir auto-realização do trabalhador. No período colonial – séculos XV a XIX - em que europeus trabalharam ou fizeram nativos ou escravos trabalharem nas Américas, África e Ásia, tornouse evidente que o clima quente (tropical e deserto) e as altas montanhas prejudicavam sobremaneira a produtividade do trabalho braçal.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.