Memória, Lazer e Cotidiano na Cidade de Vitória da Conquista/BA

Por: Milton Leandro Santos Leituga Correio.

Projeto História. Revista do Programa de Estudos Pós-graduados em História - n.49 - 2014

Send to Kindle


Resumo

Introdução
Ao longo da história, a cidade sempre serviu de base tanto material, para a realização da estrutura social, quanto como cerne da divisão social, territorial e técnica de trabalho, que, consequentemente, arquiteta o sistema produtivo em seu determinado tempo histórico, contraditoriamente, sendo por esse também arquitetado. Com o processo de industrialização segundo Sposito1 e, por conseguinte, a homogeneização das relações sociais capitalistas, que intensificaram a ideia de espaço enquanto mercadoria para suprir as necessidades do mercado mundial, o conteúdo do urbano, como afirma Lefebvre2, foi modificado, passando a apresentar um novo caráter ideológico, que absorve e impõe formatos que alteram o cotidiano das pessoas, gerando espaços segregados de convivência dos citadinos. Assim, a cidade reproduzida como mercadoria legitima a segregação, na qual o cotidiano do lazer, as relações de trabalho capitalistas e o consumo por classe segregam e separam cada vez mais o citadino.

Endereço: http://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/19391/15532

Ver Arquivo (PDF)

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.