Memórias das Experiências com o Brincar: Narrativas e Mônadas de Professoras de Educação Infantil

Por: Eliana Ayoub, Marília Del Ponte de Assis e Marina Dal Evedove.

Kinesis - v.37 - 2019

Send to Kindle


Resumo

O trabalho teve como objetivo refletir sobre as memórias das experiências com o brincar de professoras que atuam na educação infantil, reconstruindo, em forma de narrativas e mônadas, o universo lúdico vivido por elas. Tomando como referência a perspectiva da história oral, foram entrevistadas três professoras de um centro de educação infantil de uma universidade pública paulista. Com base nas memórias compartilhadas, constatamos que, como sujeitos históricos imersos numa realidade social, as professoras possuem experiências com o brincar que são significativas e constituem sua singularidade, reverberando na forma como as mesmas veem e fazem a mediação das brincadeiras na sua prática docente.

REFERÊNCIAS

ALBERTI, V. Manual de História Oral. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

AMADO, J. O grande mentiroso: tradição, veracidade e imaginação em História Oral. História, v. 14, 1995.

AYOUB, E. Reflexões sobre a educação física na educação infantil. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, supl. 4, p. 53-60, 2001.

BENJAMIN, W. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: Duas Cidades: Editora 34, 2002.

BRASIL, Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília, 2010.

BROUGÈRE, G. Brinquedo e cultura. Coautoria de Gisela Wajsko França. São Paulo: Cortez, 1995.

CARNEIRO, K. T. Por uma memória do jogo: a presença do jogo na infância das décadas de 20 e 30. Curitiba: Appris, 2017.

FREITAS, M. T. A. A abordagem sócio-histórica como orientadora da pesquisa qualitativa. Cadernos de Pesquisa, Juiz de Fora, n. 116, p. 21-39, jul./ 2002.

GUEDES-PINTO, A. L. Memórias de leitura e formação de professores: considerações sobre a apropriação da fala do outro. Revista História Oral, Recife, v. 18, n. 2, p. 207-222, jul./dez. 2015.

GUEDES-PINTO, A. L.; GOMES, G. G; SILVA, L. C. B. Memórias de leitura e formação de professores. Campinas: Mercado de Letras, 2008.

KISHIMOTO, T. M. Jogos tradicionais infantis: o jogo, a criança e a educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

NAVARRO, M. S.; PRODÓCIMO, E. Brincar e mediação na escola. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Porto Alegre, v. 34, n. 3, p. 633-648, jul./set. 2012.

PETRUCCI ROSA, M. I. et al. Narrativas e mônadas: potencialidades para uma outra compreensão de currículo. Currículo sem Fronteiras, v. 11, n. 1, p. 198-207, jan./jun. 2011.

 

PONTES, F. A. R.; MAGALHÃES, C. M. C. A transmissão da cultura da brincadeira: algumas possibilidades de investigação. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p. 117-124, 2003. D

ROCHA, M. S. P. M. L. Não brinco mais: a (des)construção do brincar no cotidiano educacional. Ijuí: Editora da Unijuí, 2000.

SILVA, A. N. Brincadeira: marcos temporais e memória. Da investigação às práticas, Lisboa, v. 4, n. 1, p. 04-30, mar. 2014.

SIQUEIRA, I. B.; WIGGERS, I. D.; SOUZA, V. P. O brincar na escola: a relação entre o lúdico e a mídia no universo infantil. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 313-326, abr./jun. 2012.

SOUZA, S. J.; KRAMER, S. Experiência humana, história de vida e pesquisa: um estudo de narrativas, leitura e escrita de professores. In: SOUZA, S. J.; KRAMER, S. (Orgas): Histórias de professores: leitura, escrita e pesquisa em educação. São Paulo, Ática, 2003.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2014

 

Endereço: https://periodicos.ufsm.br/kinesis/article/view/37494

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.