Modalidades em Construção e a Importância das Revistas Especializadas na Preservação da Historicidade: o Caso do Balonismo

Por: Juliano de Souza e Luana Mari Noda.

XV Congresso de História do Esporte, Lazer e Educação Física - CHELEF

Send to Kindle


Resumo

Este estudo teve como objetivo discorrer sobre a importância das revistas especializadas como referências importantes para construção historiográfica do desenvolvimento das modalidades de aventura. O uso de jornais e revistas como fontes férteis de pesquisas históricas no Brasil se iniciou segundo Luca (2005), nas décadas de 1960 e 1970. Apenas com a publicação do livro “Fazer História”, em 1974, organizado por Jacques Le Goff e Pereira Nora que as fontes impressas, jornais e revistas passaram de fato a ser objeto de pesquisa. Com a formação do campo esportivo no Brasil nas últimas décadas e a popularização dos chamados esportes na natureza, esportes radicais e atividades de aventura, abriu-se uma nova possibilidade de abordar esses esportes em uma perspectiva histórica, bem como em suas implicações conceituais. Entre os primeiros estudos históricos sobre modalidades de aventura, utilizando as revistas especializadas como fonte significativa, podemos citar o estudo de Tony Honorato, publicado em 2004, que versa sobre a história do skate no Brasil. Ele utilizou como fonte a Revista Esqueite, que foi uma das primeiras revistas especializadas em skate no Brasil. Seu exemplar nº 01 foi publicado em setembro de 1977 e a revista procurava tratar de assuntos técnicos, de campeonatos, divulgação de points, pistas e locais ideais para a prática do skate. No balonismo, a revista BALLOONING - The Journal of Balloon Federation of America, surgiu cerca de seis anos após o desenvolvimento do conhecido “balonismo moderno”. Com o surgimento de tecnologias, a configuração do balonismo foi pensada para além do uso como aeronave e este estruturou-se como esporte, se aproximando da caracterização do conceito de esportivação, esporte e lazer, elaborada por Elias e Dunning (1992). O jornal da BFA, "Ballooning", volume 1, número 1, apareceu em 1968, como modesta revista de 16 páginas, 8 ½ x 11 polegadas (SONNINCHEN, 2011). Em última análise, cada uma dessas fontes pode servir como suporte privilegiado para a investigação dessas modalidades. Se considerarmos ainda as dificuldades de encontrar referências oficias ou outros estudos, o uso de fontes como essas podem oferecer proposta mais factível. O Ballooning é uma dessas possibilidades, uma vez que é uma importante referência de como se deu o desenvolvimento do balonismo como esporte. Com suas sessões históricas proporciona ao pesquisador detalhes dos primórdios da modalidade, os principais atores e as dificuldades e conflitos. A divulgação dos eventos, diretores, descrição dos locais e resultados facilitam o olhar para a descoberta do movimento de crescimento da modalidade além de situar geograficamente a expansão do balonismo pelo mundo.
Palavras-chave: Ballooning; história; revista; balonismo.

Referências
LUCA, T. R. de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla B. (org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005.
HONORATO, T. Uma História do skate no Brasil: do lazer à esportivização. In: Anais do XVII Encontro regional de História: o lugar da história. Campinas, Unicamp, 2004.
ELIAS, N. e DUNNING, E. A Busca da Excitação. Lisboa: Difel, 1992.
SONNINCHEN, D. BFA: The early years. Ballooning, v. 44, n. 2, 2011.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.