Modelação da Estabilidade do Somatótipo em Crianças e Jovens dos 10 Aos 18 Anos de Idade do Estudo de Crescimento de Madeira (portugal)

Por: Albrecht L. Claessens, António Marques, Celso António Rosa de Almeida e Silva, Duarte Luís de Freitas, Gaston Beunen, Johan Lefevre, José Antônio Ribeiro Maia e Martine Thomis.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.6 - n.1 - 2004

Send to Kindle


Resumo

Este estudo pretende investigar a estabilidade do somatótipo, enquanto entidade tridimensional, de crianças e jovens Madeirenses (Portugal). Com base numa amostra estratificada proporcional, e a partir de um delineamento longitudinal-misto, foi obtida informação de 309 sujeitos dos dois sexos (157 rapazes e 152 moças) que participaram no ‘Estudo de Crescimento da Madeira’. O somatótipo foi estimado com base no procedimento de Heath-Carter, e a análise estatística recorreu à modelação quasi-simplex para solucionar a estrutura multivariada dos dados. Os cálculos foram efectuados no software Mplus. Na sua essência, os resultados do ajustamento dos diferentes modelos à estrutura do somatótipo sugerem a sua forte estabilidade no intervalo etário dos 10 aos 16 anos. Esta característica salienta a sua reduzida alteração, e consequente previsibilidade desenvolvimentalista.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/3841

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.