Modelos Curriculares Pessoais no Ensino do Basquetebol. Amândio Graça

Por: Amândio Braga dos Santos Graça e Carlos Januário.

VII Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

A sorte do currículo oficial depende largamente da receptividade e da interpretação pessoal que o professor faz dele. Doyle (1992) refere que o professor desenvolve perspectivas pessoais robustas acerca da matéria que habitualmente ensina. Grossman (1991) analisou oimpacto queas orientações disciplinares exerciam sobre os modos de ensinar as matérias. Gudmundsdottir (1991) destacou o conceito modelos pedagógicos da matéria como uma peça central do seu conhecimento pedagógico do conteúdo. O nosso estudo pretende substanciar as características do conhecimento curricular do conteúdo de 4 professores de Educação Física reconhecidos como especialistas numa modalidade desportiva - o basquetebol. Os dados foram recolhidos através de entrevistas e da observação de todas as aulas da unidade didáctica dedicada ao basquetebol, numa turma (do 78 ao 109 anos de escolaridade) de cada professor. As respostas às entrevistas e toda a fala do professor durante as aulas foram analisadas qualitativamente com base no modelo conceptual de Grossman (1990) sobre o conhecimento do professor e no quadro de Rink (1985) sobre as fases de desenvolvimento das habilidades dojogo.Ainterpretação dosdadosconfirma queos professores diferem nas atitudes face ao currículo oficial e que desenvolvem fortes perspectivas pessoais, materializadas nas formas particulares como estruturam, ordenam e enfatizam os conteúdos de ensino.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.