Modelos Tradicionais de Fadiga e Desempenho Físico

Por: Bruno Ferreira Viana, Cayque Brietzke Barreto, Felipe de Russi de Lima, Flávio de Oliveira Pires, Paulo Estevão Franco Alvarenga, Ricardo Yukio Asano e .

Revista da Educação Física - UEM - v.29 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

A etiologia da fadiga tem sido objeto de estudo em pesquisas relacionadas ao desempenho esportivo em função da necessidade de esclarecer os mecanismos que reduzem a capacidade de manutenção do desempenho em intensidades elevadas de esforço. A concepção tradicional de fadiga assume que os mecanismos possam ser desencadeados em sítios de ação central ou periférica. A fadiga periférica é compreendida como uma oferta inadequada de oxigênio tecidual acelerando a acidose muscular. A fadiga central, por sua vez, oriunda do sistema nervoso central (SNC), apresenta alterações nos neurotransmissores, podendo alterar o perfil metabólico e temperatura do SNC. Desta forma, a presente revisão tem como intuito abordar os mecanismos de fadiga central e periférica, norteando futuras interpretações sobre o fenômeno.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/34289

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.