Motivação e Desempenho Tático em Jovens Jogadores de Futebol: Uma Análise a Partir da Teoria da Autodeterminação

Por: Deisy de Oliveira Silva, Edielson Frigeri Leite Ciqueira, , , Paulo Henrique Borges e Wilson Rinaldi.

Cinergis - v.16 - n.2 - 2015

Send to Kindle


Resumo

O entendimento dos fatores motivacionais que interferem no desempenho tático dos jogadores de futebol é fundamental para auxiliar as intervenções dos treinadores, durante o processo de treinamento. Objetivo: analisar as relações dos níveis motivacionais com o desempenho tático de jogadores de futebol. Método: fizeram parte da amostra 29 jogadores de futebol (15,38 anos ± 1,20), pertencentes a um projeto de extensão da Universidade Estadual de Maringá. Para avaliar a motivação, foi utilizada a Escala de Motivação para o Esporte (SMS); para avaliar o desempenho tático, foi utilizado o Game Performance Assessment Instrument (GPAI). Para analisar os dados, foi utilizado o teste U-Mann Whitney e o Coeficiente de Correlação de Spearman. Resultados: os jogadores juvenis apresentaram maior desmotivação em relação aos infantis (p=0,03). Foram identificadas correlações moderadas entre execução de habilidade (r=0,53) e desempenho tático (r=0,43) com a motivação intrínseca. Considerações finais: os jogadores com maior nível de motivação intrínseca apresentam melhor desempenho tático e execução de habilidades específicas da modalidade. Assim, sugere-se que a motivação intrínseca é um fator que pode contribuir para a manifestação das qualidades técnicas e táticas em jovens jogadores de futebol.

Endereço: https://online.unisc.br/seer/index.php/cinergis/article/view/6320

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.