Motivação e Percepção de Sucesso: Caracterização dos Jovens Escolares Portugueses

Por: F. A. Andrade, F. B. Thimóteo e J. H. Santos.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

A motivação, como pressuposto importante na aprendizagem, tem sido objeto de estudo com fim de analisar os seus efeitos nos comportamentos de crianças e adolescentes inseridas no ambiente da educação fisica escolar e esportiva. A Teoria motivacional de orientação aos objetivos abrange duas vertentes que regem os indivíduos à percepção de sucesso no esporte. A primeira vertente é direcionada à orientação para a Tarefa (Task orientation), em que, o indivíduo percebe o sucesso mediante a melhora de suas capacidades baseadas em um objetivo pessoal. A segunda vertente é a Orientação para o Ego (Ego orientation), em que a percepção de sucesso ocorre através da comparação com terceiros. O objetivo do estudo foi caracterizar as orientações motivacionais de escolares portugueses e verificar se existem diferenças entre os índices de percepção de sucesso em função de variável demográfica (sexo). A pesquisa é descritiva e comparativa. Envolveu 39 escolares da cidade de Coimbra, Portugal. A coleta de dados foi realizada através do Questionário de Percepção de Sucesso no Esporte (Perception of Success Questionnaire - POSQ), versão adaptada para o contexto português. Considerando toda a amostra o índice médio encontrado de orientação para o ego foi de (3,27±0,96) e de orientação para a tarefa de (4,53±0,54); (N=39). Comparando os resultados em função do sexo, verificou-se que as meninos apresentaram média de orientação para o Ego de 3,39±1,09 e as meninas de 3,01±0,63. Em orientação para a tarefa, os meninos apresentaram média de 4,57±0,51 e as meninas de 4,45±0,62. De acordo com os resultados, não foram encontradas diferenças significativas entre meninos e meninas em orientação para o Ego (t=1,364; df=36,027; P=.181), nem em orientação para a Tarefa (t=0,621; df=37,0; P=.539). Analisando-se os índices obtidos no conjunto da amostra, observou-se elevada orientação para a Tarefa, sendo esta superior à orientação para o Ego. Em vista dos resultados, conclui-se que provavelmente os escolares investigados são oriundos de ambientes de aulas/treino onde prevalece um clima motivacional que valoriza o esforço e o alcance das metas de aprendizagem, traduzido em parâmetros autorreferenciados de sucesso acadêmico, além de estimular a motivação intríseca dos jovens.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2016 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.