Mulheres Idosas com Incontinência Urinária Apresentam Menor Nível de Atividade Física Habitual

Por: Enaiane Cristina Menezes, e Janeisa Franck Virtuoso.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.17 - n.5 - 2015

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi verificar e comparar o nível de AF habitual com a frequência e a gravidade da perda urinária em idosas. Participaram deste estudo, 19 idosas com IU de esforço ou mista. Foram coletados dados referentes à frequência e gravidade da IU por meio do ICIQ-SF e sobre o nível de AF habitual por meio do acelerômetro triaxial GT3-X marca ActiGrafh, utilizado durante sete dias consecutivos. Utilizou-se estatística descritiva (média, desvio padrão, frequência e porcentagem) e inferencial (U de Mann-Whitney ou ANOVA unifatorial com post hoc de Bonferroni). A maioria (n=17; 89,5%) relatou perder uma pequena quantidade de urina. Não houve diferença entre o nível de AF habitual e a gravidade da IU (U=6,000; p=0,144). Em relação à frequência das perdas urinárias, 42,1% (n= 8) relataram perder urina duas ou três vezes por semana, 31,6% (n= 6) uma vez ao dia ou mais e 26,3% (n= 5) uma vez por semana ou menos. As idosas com perdas urinárias mais frequentes apresentaram menor nível de AF habitual (F=6,050; p=0,011). Conforme o tamanho do efeito, 43,1% da variabilidade do nível de AF pode ser explicada pela frequência das perdas urinárias. Foi concluído que a frequência de perda urinária cotidianamente está relacionada com baixo nível de AF habitual de idosas

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2015v17n5p612

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.