Multiplicidade de Atividades Profissionais dos Professores/profissionais de Educação Física e o Investimento na Formação Continuada

Por: Maryelle Graça Rodrigues.

56ª Reunião Anual da SBPC

Send to Kindle


INTRODUÇÃO:

Ao término de uma graduação espera-se que todo professor/profissional já reconheça a área na qual irá atuar. Acredita-se também, que já escolhida sua área de atuação, o profissional invista na sua formação continuada, participando de pesquisas, estudos e cursos de aperfeiçoamento, para que o exercício de sua profissão seja realizado com competências e habilidades atualizadas e essenciais para um indicativo de qualidade. O investimento pessoal e profissional - formação continuada - para uma atuação adequada e para a credibilidade deste professor/profissional junto a comunidade está atrelado a fatores não só individuais, mas principalmente financeiros e de disponibilidade de tempo. Diante deste contexto é que surgiram os seguintes questionamentos: "Onde e com que atuam os professores/profissionais de Educação Física envolvidos com atividades aquáticas em Campo Grande-MS?" e "Se estes professores/profissionais de Educação Física envolvidos com atividades aquáticas em Campo Grande-MS investem na formação continuada?"

METODOLOGIA:

Este estudo fez parte de um projeto maior, o qual tinha por objetivo caracterizar o contexto das instituições (escolas, clubes, academias e hotéis) que ofereciam atividades aquáticas (natação, hidroginástica, pólo aquático, nado sincronizado e biribol) na cidade de Campo Grande - MS. Os dados desta pesquisa foram coletados pelos alunos do 3º ano do curso de Educação Física, do período matutino, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, como parte dos requisitos da disciplina "Natação I", durante o primeiro semestre do ano de 2003. A pesquisa foi de caráter descritivo-exploratório, pois conforme Thomas e Nelson (2002), por meio dela a realidade pode ser exposta pelos fatos ou dados estatísticos e através destas informações solucionar problemas e melhorar práticas. A coleta dos dados foi realizada por meio de: questionário contendo questões abertas e fechadas, entrevista semidirigida e roteiro de observação. Para apresentação deste trabalho foram focalizados somente os dados referentes ao tempo que professores/profissionais se dedicavam ao desenvolvimento de suas atividades profissionais, uma vez que, isso influencia e muitas vezes, determina a disponibilidade para a dedicação aos estudos. Dos 39 professores/profissionais que participaram da pesquisa maior, 29 abordaram a temática pertinente a este estudo

.RESULTADOS:

Diante dos dados coletados constatou-se que dos vinte e nove (29) professores/profissionais que trabalhavam com atividades aquáticas vinte e quatro (24) deles atuavam em academias, sendo que sete (7) ministravam aulas só de natação, nove (9) atuavam com natação e hidroginástica e os outros seis (6) com natação e hidroginástica, e também eram responsáveis pelas aulas de ginástica. Entre professores entrevistados, vinte e um (21) trabalhavam em escolas, sendo três (3) com natação, dois (2) com natação e hidroginástica, um (1) como técnico de natação e os demais quinze (15) trabalhavam com outras atividades da Educação Física. Em clubes, quatorze (14) deles atuavam com atividades aquáticas, sendo que três (3) ministravam aulas só de natação, um (1) somente de hidroginástica, oito (8) de natação e hidroginástica, dois (2) com natação e treinamento desportivo. Nenhum profissional/professor foi encontrado em hotéis atuando com atividades aquáticas. Poucos professores/profissionais atuavam nos três estabelecimentos que ofereciam atividades aquáticas somente cinco (5), ou seja, em academias, escolas e clubes; treze (13) atuavam em dois estabelecimentos e dezessete (17) em apenas um. Entre os professores/profissionais pesquisados somente dez (10) realizavam investimento na formação continuada; ou seja, a participação em cursos de pós-graduação, leitura de livros, revistas e artigos relacionados a área, como também a participação em cursos de curta duração.

CONCLUSÕES:

Este estudo permitiu observar que a maioria dos professores/profissionais de Educação Física, que atuavam com atividades aquáticas em Campo Grande/MS, trabalhava em apenas um tipo de estabelecimento - academia. Entretanto, estes professores/profissionais ministravam aulas de diferentes modalidades (natação, hidroginástica, treinamento e Educação Física escolar) em sua prática profissional. A atuação diversificada exigia destes habilidades e competências diferenciadas, envolvendo tanto o universo das atividades aquáticas, quanto de outras áreas de atuação profissional (por exemplo: aulas de Educação Física Escolar). Entre as atividades aquáticas, a maior parte dos professores/profissionais trabalhava com a natação e os demais com hidroginástica e treinamento. Nenhum dos professores/profissionais relatou ministrar aulas e/ou treinamento de pólo aquático, e biribol, fato este que indica um mercado de trabalho ainda a ser explorado em Campo Grande. Essa diversificação de atividades e de locais de atuação dos professores/profissionais de Educação Física se dá, muito provavelmente, devido ao fato destes não conseguirem atender suas necessidades de sobrevivência. O fato de terem que recorrer a outras fontes de renda, faz com que estes professores/profissionais sobrecarregam a agenda com uma multiplicidade de funções e de locais de atuação, fato este que era a justificativa apresentada pelos participantes da pesquisa para a falta de investimento na formação continuada.

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.