Natação Para Asmáticos: Relação Prática / Possível Melhora

Por: Celia C. Barros e Rosane B. Cunha.

I Congresso internacional de Educação Física de Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

As crises de asma têm sido uma das causas importantes para o afastamento de alunos de 1Be 2° Graus das aulas de Educação Física. Por isto buscou-se estudar prováveis benefícios que a Natação proporciona ao asmático. Investígou-se 160 indivíduos, de ambos os sexos, entre 5 meses e 40 anos, asmáticos e praticantes da Natação em escolas, clínicas, clubes e academias (CUNHA et alii, 1987). A revisão da literatura de obras avulsas periódicos nacionais e estrangeiros, abrangeu os tópicos: asma e suas relações (HOLGATE, 1985; CRATTY, 1986), como identificá-la (REES & PRICE, 1984; CRATTY, op. cit; PRICE, 1980), prevalência (LAPIERRE, 1982; REES & PRICE, op. cit; FRITSCHER, 1984); fatores precipitantes (STRAUSS et alii, 1978; REES & PRICE, 1984; HOLGATE, 1985), hereditariedade (FRITSCHER, op. cit.; NEGREIROS, 1980), fatores emocionais e possível relação com a asma (NEGREIROS, op. cit.), asma e atividade física (STRAUSS et alii, 1978; PRICE, Op. cit.; GEORGE & HART, 1983; MALLISON, 1985; HEGGARTY, 1985; CRATTY, op. cit. a; op. cit. b; QUARRE et alii, 1987), asma e Natação (PRICE, op. cit; OLIVEIRA&SERRANO, 1984; HEGGARTY, op. cit.), asma induzida (HEGGARTY, 1985; QUARRE et alii, Op. Cit; STRAUSS et alii, 1977; 1978; REES & PRICE, op. cit), tratamento (HOLGATE, op. cit.; REES & PRICE, op. cit.). Prosseguiu-se entrevistando médicos (alergistas e pneumologistas) e professores de Educação Física, e aplicou-se um questionário para ser respondido pelos pais ou responsáveis, e pelo próprio indivíduo. Buscou-se estabelecer: (a) uma relação entre a prática da Natação e uma possível melhora; (b) quais os fatores ligados a essa melhora; (c) um quadro do reconhecimento ou não da importância da Natação para o asmático, por parte dos médicos; os períodos de maior incidência de crises; relações com a hereditariedade. Concluiu-se que 56,3% apresentavam maior incidência de crises no inverno; 69% possuíam familiares asmáticos; 73,8% procuraram a Natação por indicação médica; 67,5% faz uso de medicamentos; 80,6% tiveram diminuição ou fim das crises; 81,8% declararam ter melhorado o processo respiratório; 86,3% não apresentam crises com exercícios fora d’água; 94,8% não apresentam crises quando em exercício físico dentro d’água. Embora considerando as limitações do estudo, a Natação parece ter sido benéfica ao grupo de asmáticos investigado.

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.