Níveis Maturacional e Socioeconômico de Jovens Sambistas do Rio de Janeiro

Por: Denise Martins Moreira e Maria Isabel Januário Fragoso.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.10 - n.1 - 2004

Send to Kindle


Resumo

Este estudo propõe avaliar o processo de maturação biológica de jovens sambistas, em suas relações com a estratificação socioeconômica, com o crescimento e com a composição corporal, enfatizando o desenvolvimento durante a adolescência, que abrange a passagem da infância à idade adulta, assim como as suas diversas etapas intermediárias medidas através de um conjunto de parâmetros sexuais habitualmente assinalados. Com esse objetivo, foram avaliados a maturação sexual e seus mais importantes sinais físicos e sociais. Foram avaliadas 118 moças entre os 9 e 16 anos participantes da escola de samba Beija-Flor de Nilópolis. Para a determinação de algumas características de desenvolvimento maturacional, foram utilizadas as seguintes medidas: pilosidade axilar, idade da menarca pelos métodos retrospectivo e status quo, pilosidade púbica e desenvolvimento da mama através de auto-avaliação, segundo os critérios de Tanner7. Partindo dos resultados aqui apresentados, parece que: a idade média da menarca é semelhante à encontrada em outras amostras, embora mais baixa; o nível social e o rendimento familiar parecem não interferir no número de sambistas que já passaram pela menarca e na idade média de ocorrência do fenômeno; nos grupos de rendimento socioeconômico mais baixo, são as moças que já vivenciaram a menarca as que apresentam maiores níveis de gordura. Ao contrário, quando o rendimento é superior, são as meninas que ainda não vivenciaram a menarca aquelas que apresentam níveis de gordura mais elevados.

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbme/v10n1/02.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.