Nível de Atividade Física, Estresse e Percepção da Saúde de Bancários

Por: , Caroline Luft e Maick Viana.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Os estudos têm demonstrado que a prática de atividade física pode auxiliar na
saúde e na redução dos níveis de estresse de trabalhadores. Porém, muitas
destas pesquisas deixam de lado a auto-avaliação da saúde e percepção estresse
do indivíduo, que é fundamental para entender esta relação (MINAYO, 1992;
COHEN et al., 1983). Nesta perspectiva, este estudo buscou investigar o nível
de atividade física, o estresse e a saúde de bancários. A amostra foi composta
por 283 bancários de um banco estatal com agências na Grande Florianópolis.
O instrumento utilizado para a coleta dos dados foi o "Questionário de AutoAvaliação do Estilo de Vida, Ocorrência e Controle do Estresse" - desenvolvido
por ANDRADE (2001). Dentro deste questionário estão inclusos a Escala de
Stress Percebido de COHEN et al. (1983) e o Questionário de Atividades Físicas
Habituais de Pate adaptado por NAHAS (2001). O tratamento dos dados foi
feito através de estatística descritiva e inferencial (Qui-Quadrado, ANOVA e
Post-Hoc de Scheffé). Quanto aos hábitos de atividade física, 61,1% dos
bancários são sedentários, 24,1% são pouco ativos, e 14,8% são ativos. A média
geral do Índice de Estresse Percebido (ISP) dos bancários foi de 23,15 (s=6,15)
pontos, tendo variado de 10 a 44 pontos (pontuação máxima do teste = 56). A
maioria (70,7%) avaliou sua saúde como boa, 16,6% como regular, 11,7%
como excelente, e 1,1% como ruim.As médias do ISP dos bancários sedentários,
pouco ativos e ativos foram respectivamente 24,03 (s=6,23), 22,0 (s=5,95) e
21,35 (s=5,55). Ao aplicar ANOVA Fatorial verificou-se que essa diferença é
significativa (p=0,008), sendo que o Post Hoc indicou significância apenas
entre os grupos sedentário e ativo. As médias do ISP de quem auto-avaliou a
saúde como excelente, boa, regular e ruim foram respectivamente de 20,33
(s=5,34), 22,53 (s=5,95), 27,17 (5,22) e 32,33 (s=7,50). Essas diferenças foram
significativas (p=0,000). O Post Hoc indicou diferença significante entre
percepções de saúde boa e excelente e ruim e regular. A atividade física atua de
forma positiva na auto-avaliação da saúde dos bancários, pois os ativos têm
uma melhor percepção da saúde que os pouco ativos, que por sua vez percebem
a saúde melhor que os sedentários, como apontou o teste Qui-Quadrado
(p=0,000). Os resultados deste estudo apontam que o nível de atividade física
atua de forma positiva na percepção do estresse e da saúde de bancários, tendo
os ativos uma melhor percepção destas duas variáveis.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/75_Anais_p403.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.