Nível Competitivo, Tipo de Recuperação e Remoção do Lactato Após Uma Luta de Judô

Por: , Maria Augusta Peduti Dal Molin Kiss, Monica Yuri Takito e Rômulo Cássio de Moraes Bertuzzi.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.6 - n.1 - 2004

Send to Kindle


Resumo

O objetivo desse estudo foi verificar a influência do nível competitivo na remoção do lactato sangüíneo [La] durante a recuperação ativa (RA) e a recuperação passiva (RP) após uma luta de judô. Vinte e cinco judocas adultos do sexo masculino (10 atletas de elite – medalhistas em competições nacionais ou internacionais e 15 atletas não elite – não medalhistas nessas competições) foram submetidos, em dias diferentes, a uma luta de judô de 5min, seguida por 15min de RP ou RA (70% da velocidade de LAn, ≅ 50% VO2pico), determinadas aleatoriamente. A [La] foi medida antes, 1, 3, 5, 10 e 15min após cada luta. O VO2pico e a velocidade de limiar anaeróbio (VLAn) foram medidos em esteira rolante. A comparação foi feita através de uma ANOVA a três fatores (grupo, tipo de recuperação e tempo) com medidas repetidas, seguida por teste de Tukey. Houve efeito dos três fatores sobre a [La] e interação tempo-nível competitivo e tempo-tipo de recuperação. A [La] após a luta era menor no grupo elite comparado ao não elite, durante a RA comparada à RP e, como esperado, diminuía com o passar do tempo. As diferenças entre os grupos diminuíam durante o período. O oposto ocorria entre a RA e a RP. A diferença entre os grupos não pôde ser atribuída à potência e à capacidade aeróbias. Uma possível explicação para essa diferença pode ser uma menor ativação glicolítica em decorrência de nível técnico mais elevado no grupo elite comparado ao não elite.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/3842

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.