Nível de Atividade Física e Fatores Socioambientais e Bioculturai de Idosos Diabéticos de Pouso Alegre - Mg

Por: Wagner Fabrício Lemos Taets Silva.

99 páginas. 2015 04/09/2015

Send to Kindle


Resumo

INTRODUçãO: O aumento da prevalência das doenças crônicas não comunicáveis e seus agravos em diferentes países, tem resultado em ações de prevenção mais efetivas, uma vez que 74% de todas as causa de morte se associam a vida cotidiana das pessoas, expressas como fatores de risco. Com o aumento da idade, há maior associação frente aos riscos acumulados ao longo da vida e o processo de senescência, o que pode agravar o quadro de senilidade nas populações. Desta maneira, percebe-se o crescente reconhecimento científico da importância da pratica regular de atividade física e estilo de vida fisicamente ativo no contexto da prevenção e promoção em saúde, demonstrando a estreita relação entre saúde e atividade física. OBJETIVO: O objetivo do presente estudo foi diagnosticar as características socioambientais, bioculturais e clínicas e sua relação com o nível de atividade física de idosos diabéticos tipo 2 residentes no Município de Pouso Alegre - MG. METODOLOGIA: Foram entrevistadas e avaliadas 52 pessoas de ambos os sexos, com média de idade de 69 ± 5,9 anos, acometidos pelo DM 2. Foi utilizado para a avaliação dos aspectos socioeconômicos, bioculturais e socioambientais um questionário desenvolvido e adaptado através de perguntas já validadas cientificamente. Foram coletados e analisados os parâmetros Antropométricos: Massa Corporal, Estatura, índice de Massa Corporal (IMC) e Circunferências de cintura, quadril e abdômen dos participantes, além da aplicação de testes funcionais. Foram coletados, através da análise de prontuário médico dos participantes, os dados clínicos mais recentes. Os resultados foram analisados estatisticamente utilizando o teste Qui-quadrado e Mann-Whitney e estatística descritiva na expressão dos valores médios e desvio padrão, sendo nível de significância adotado de 95% (p‹0,005). RESULTADOS: A média de tempo acumulado de atividade física dos participantes foi de 224 ± 73 min./sem. Foram classificados como insuficientemente ativos 8 participantes e 44 como ativos. Acerca dos indicadores antropométricos e funcionais, constatou-se associação positiva entre relação cintura-quadril (RCQ) e nível de atividade física (p‹0,005); Força de membros superiores e nível de atividade física (p‹0,005); Força de membros superiores e nível de atividade física (p‹0,005); marcha estacionária de 2 minutos e nível de atividade física (p‹0,005). O perfil lipídico (LDL) apresentou associação positiva com nível de atividade física (p‹0,005). Em relação aos fatores socioculturais e econômicos, observou-se associação positiva entre nível de atividade física e boa relação com os familiares (p‹0,005).Não foi diagnosticada associação entre os fatores ambientais e o nível de atividade física dos participantes. CONCLUSãO: Os dados encontrados demonstram haver associação positiva dos fatores socioambientais e bioculturais com o nível de atividade física dos Idosos diabéticos tipo 2.

Endereço: http://www.usjt.br/pgedf/conteudo/banco-de-dissertacoes.php?ano=2015

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.