Nível de Atividade Física e Prevalência de Quedas em Idosos Residentes em Um Município do Sudoeste do Paraná

Por: Chiara Munaro, Jéssica Rigon Kasmarek e Patrine Kieling de Lima.

Revista Brasileira de Qualidade de Vida - v.11 - n.2 - 2019

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVO: Verificar a associação entre nível de atividade física e prevalência de quedas em idosos de Francisco Beltrão/PR.

MÉTODOS: Estudo conduzido com 305 idosos, com idade média de 69,09±7,05 anos, residentes em Francisco Beltrão. O instrumento utilizado para analisar o nível da atividade física habitual (NAFH) foi o questionário IPAQ, em sua versão curta, no qual foram acrescentadas perguntas referentes a quedas nos últimos 12 meses. Foi empregada a estatística descritiva para caracterização da amostra e o teste de qui-quadrado para verificar a associação entre o NAFH e as quedas. Utilizou-se o programa estatístico SPSS versão 20.0, e o nível de significância adotado foi de P<0,05.

RESULTADOS: Identificou-se que do total de 305 idosos, 66,9% foram classificados como mais ativos e 33,1% como menos ativos para o NAFH. Para a pergunta referente a quedas aos últimos 12 meses a prevalência de quedas encontrada foi de 27,2%. Desses 305 idosos avaliados, 27,2% (n=83) relataram ter sofrido ao menos uma queda no último ano, os quais 56 foram classificados como mais ativos, e 27 foram classificados como menos ativos. Não foram identificadas associações significantes entre NAFH e quedas nos idosos deste estudo (P>0,05).

CONCLUSÕES: Não foi verificada associação significativa entre as quedas relatadas pelos idosos nos últimos 12 meses e o NAFH.

Endereço: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/9463

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.