Nível de Escolaridade Não Influencia Nível de Atividade Física em Idosos

Por: Anne Caroline Camargo Lamonato e Antonio Carlos de Quadros Junior.

Motriz - v.17 - n.1 - 2011

Send to Kindle


Resumo

A funcionalidade básica e o nível de atividade física são comumente prejudicados pelo  envelhecimento, e podem ser influenciados pelos sintomas depressivos, estado cognitivo global e nível de 
escolaridade. Objetivo: analisar relação entre escolaridade e funcionalidade básica, nível de atividade física,  sintomas depressivos e estado cognitivo global em idosos fisicamente ativos. Método: 53 idosos 
fisicamente ativos de ambos os gêneros responderam ao Questionário Baecke de Nível de Atividade Física,  Escala Katz de Funcionalidade Básica, Mini-Exame do Estado Mental e Escala Geriátrica de Depressão.  Utilizou-se o coeficiente de correlação de Spearman (p<0,05). Resultados: encontrou-se correlação  significativa apenas entre escolaridade e estado cognitivo global; nível de atividade física, funcionalidade  básica e sintomas depressivos não se correlacionaram significativamente com a escolaridade. Conclusão: a  escolaridade não influenciou o nível de atividade física, funcionalidade básica ou sintomas depressivos,  mas correlacionou-se com o estado cognitivo global, conforme descrito pela literatura, exercendo uma  função protetora

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/1980-6574.2011v17n1p202/pdf_73

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.