Nível Temporal da Atividade Muscular de Músculos Selecionados do Membro Inferior Durante Exercícios de Extensão do Quadril

Por: Ewertton Bezerra, Jansen Estrázulas e .

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Exercícios que envolvam a extensão do quadril são amplamente
utilizados em programas de treinamento esportivo e reabilitação (BOMPA, 1999;
ESCAMILLA et al., 1998). Sendo que o tempo de ativação, que corresponde ao
período que o músculo permanece ativo acima de um parâmetro previamente
determinado, durante o ciclo do movimento pode ser indicativo de eficácia.
Sendo assim, o objetivo do estudo foi caracterizar e comparar o comportamento
temporal do Bíceps Femoral cabeça longa (BF), Vasto Lateral (VL), Tibial
Anterior (TA), Gastrocnêmio Medial (GM) e Multífidos Lombares (ML) durante
a realização do levantamento terra (LT) e da sua variação com os joelhos
estendidos (LTJE). Materiais e Métodos: Foram verificados sete sujeitos com
26,71±4,99 anos, 177,71±8,86 cm, 88,42±12,39 kg. O sinal eletromiográfico
foi adquirido por intermédio do equipamento EMG1000 (Lynx Inc.), composto
por um amplificador diferencial de dez canais centrais para eletrodos ativos
pré-amplificados. Este ainda possui uma taxa de aquisição máxima de 4Khz
por canal. Os eletrodos foram colocados próximos ao ponto motor. O sinal
EMG foi normalizado pela média deste, sendo utilizado 50% da média do
valor obtido como valor de referência para os valores expressos durante tempo
de ativação. Foram realizados 3 repetições em cada exercícios com 70% da
força máxima. Para mensuração dos ângulos articulares utilizou-se um
eletrogoniômetro planar no joelho. Para a análise estatística foi utilizado o
teste t-student para comparar, separadamente, os valores obtidos em cada
movimento, (p<0,05). Resultados: Os valores do tempo de contração entre o
LT e o LTJE não apresentaram diferenças estatísticas significativas para o BF
32 ±23,86% e 31,08±23,86%, TA 40,43±35,16% e 37,83±38,61%, VL
43,42±18,85% e 21,11±14,71%, ML 10,53±5,83% e 20,41±18,83% e GM
50,99±27,49% e 29,8±16,63%, respectivamente para o LT e o LTJE. Conclusão:
Apesar de ausência entre as médias, as variações apresentadas pelo desvio padrão
podem ser indicativo de grande variação entre os sujeitos para cada um dos
dois movimentos, processo este indicativo que a técnica individual é um fator
preponderante de influência na manutenção do nível de atividade muscular
durante a realização dos movimentos.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/72_Anais_p377.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.