Novos Sujeitos-torcedorxs: Trajetórias e Estratégias de Visibilidade da Galo Queer, Bambi Tricolor e Palmeiras Livre

Por: e Mauricio Rodrigues Pinto.

Mosaico - v.9 - n.14 - 2018

Send to Kindle


Resumo

A proposta deste artigo é investigar as trajetórias de movimentos de torcedorxs contemporâneos que se posicionam politicamente contrários à homofobia e à misoginia no futebol brasileiro e que construíram a sua visibilidade fundamentalmente por meio do site de rede social Facebook. Por meio do acompanhamento de suas interações na rede social e também a partir de relatos obtidos em entrevistas de história oral com seus integrantes, são reconstituídas as trajetórias da Galo Queer (formada por torcedorxs do Clube Atlético Mineiro), Bambi Tricolor (que reúne torcedorxs do São Paulo Futebol Clube) e Palmeiras Livre (coletivo de torcedorxs da Sociedade Esportiva Palmeiras).

Referências

AMARAL, A; COIMBRA, M. Expressões de ódio nos sites de redes sociais: O universo dos haters no caso #eunãomereçoserestuprada. Contemporânea – Revista de Comunicação e Cultura. Salvador, v. 13, n. 3, p. 294-310, 2015. Disponível em http://dx.doi.org/10.9771/1809-9386contemporanea.v13i2.14010. Acesso em: 30 set. 2017. 

BUTLER, Judith. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto? Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

CARVALHO, Mario Felipe. Muito prazer, eu existo!: visibilidade e reconhecimento no ativismo de pessoas trans no Brasil. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) – Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2015.

CONNELL, R. MESSERSCHIMIDT, J. W. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 21, n.1, p. 241-282, janeiro-abril/2013. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2013000100014. Acesso em 20 jun. 2017.

FRANCO JUNIOR, Hilário. A dança dos deuses: futebol, sociedade, cultura. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Manual de História Oral. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

MISKOLCI, Richard. Estranhando as Ciências Sociais: notas introdutórias sobre Teoria Queer. Revista Florestan Fernandes, v. 2, p. 8-25, 2014. ______. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autêntica Editora, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), 2013.

OMENA, E. Não foi só por 20 centavos: a “Copa das manifestações” e as transformações socioeconômicas. In: GAFFNEY, C.; SANTOS JÚNIOR, O. A.; RIBEIRO, L. C. Q. (Org.). Brasil: os impactos da Copa do Mundo 2014 e das Olimpíadas 2016. Rio de Janeiro: Observatório das Metrópoles, 2015, p. 203-218.

PINTO, Maurício Rodrigues; BONFIM, Aira. Pelo direito de torcer: A experiência de grupos e coletivos de torcedorxs de futebol contra a cultura de que futebol é coisa pra macho. Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13th Women’s Worlds Congress (Anais Eletrônicos). Florianópolis, 2017.

RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: Política e Filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

SINGER, André. Brasil, junho de 2013, classes e ideologias cruzadas. Novos estudos CEBRAP. São Paulo , n. 97, p.23-40, Nov. 2013. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/nec/n97/03.pdf. Acesso em 26 mar. 2018

Endereço: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/mosaico/article/view/73996

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.