Novos Textos e Novos Atores na Formação Profissional Para Surdos: Rupturas ou Permanências?

Por: Madalena Klein.

Revista Brasileira de Educação - ANPED - v.11 - n.33 - 2006

Send to Kindle


Resumo

Neste artigo, analiso programas de formação profissional para surdos. Dirijo o olhar aos discursos presentes em documentos propositivos da política de formação profissional, bem como em projetos e relatórios elaborados por escolas e entidades de surdos. As unidades analíticas, entendidas com base na perspectiva foucaultiana como tecnologias de governamento, foram construídas a partir da captura das ênfases, das repetições, das articulações entre prescrições e procedimentos desses programas. São elas: captura e ordenamento dos corpos, tempos e espaços; empregabilidade/empreendedorismo e a articulação institucional e o fortalecimento da sociedade civil. Descrevo como vêm constituindo-se diferentes estratégias que se dirigem aos indivíduos surdos e às instituições e seus profissionais, no sentido de conduzirem suas ações de forma articulada e co-responsável: uma maquinaria investida de relações de saber-poder-verdade que almeja a produção de sujeitos que conduzem a si mesmos.

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v11n33/a05v1133.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.