O Alfabeto da Saúde e o Desejo do Brincar Controlado

Por: Kaline Lígia Estevam de Carvalho Pessoa, Marcel Alves Franco, Maria Isabel Brandão de Souza Mendes e Milena de Oliveira Aguiar.

Licere - v.21 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

É raro encontrar estudos que investigam materiais pedagógicos de divulgação do final do século XIX e início do XX, como é o caso da Cartilha de Higiene: Alfabeto da Saúde. Nesta pesquisa objetivamos refletir sobre a maneira como a saúde e a ludicidade são compreendidas e orientadas nas práticas instituídas por essa Cartilha. Trata-se de uma pesquisa documental que utilizou a análise de conteúdo, construindo as seguintes categorias: “Saúde, Felicidade e Higiene” e “A Ludicidade em busca da Saúde”. Diante dos resultados encontrados, identificamos práticas que impunham, de certa forma, à população, uma padronização nas atitudes para que se obtivesse saúde. Tais atitudes influenciavam em todos os campos do contexto social, a saber: relações sociais, o lazer, os ambientes familiares, as escolas. Destacamos ainda  que a alegria pura e livre contida nos espaços de lazer e nas horas lúdicas parecem estar sendo sempre vigiadas. O que nos faz apontar a necessidade de refletirmos sobre a naturalização dessas ações ainda nos dias atuais. 

Endereço: https://seer.ufmg.br/index.php/licere/article/view/10876

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.