O Ballet das Lesões: Associação Entre Agravos Músculo – Esqueléticos e Aptidão Física de Praticantes de Dança e de Escolares.

Por: Lia Geraldo Grego.

99 páginas. 2002

Send to Kindle


Resumo

A literatura especializada descreve grande numero de agravos que são típicos das praticantes de dança, no entanto, pouco se conhece sobre os efeitos da aptidão física na determinação deste processos mórbidos. Desde modo, o objetivo da presente investigação foi observar se há associação entre a aptidão física e ocorrência de Agravos Músculo – Esquelético (AME) em praticantes de ballet, comparando-as com bailarinas sem formação clássica e alunas da disciplina de Educação Física. O estudo foi realizado na cidade de Bauru – SP, com 83 jovens de 12 a 17 anos dispostas em três grupos a saber: i) bailarinas clássicas ( 27); ii) praticantes de dança sem formação clássica (19) e iii) alunas que participavam apenas de aulas de Educação Física (37). Foram avaliadas as capacidades físicas tanto relacionadas a saúde quanto ao desempenho atlético. Os teste foram aplicados no inicio e ao final do estudo. O intervalo entre as avaliações foi de 225 dias, dos quais, a cada quinzena, a executora da pesquisa entrevistou cada participante e preencheu protocolo próprio para o registros dos AME. Para analise da aptidão física foi realizada analise de medidas repetidas dos perfis médios dos grupos. A comparação entre os grupos foi realizada através do Teste Qui-quadrado e analise de variância não paramétrica. Todos os testes foram abordados considerando 5% de significância. Os resultados apontaram que as bailarinas clássicas tem peso corporal, estatura, % de gordura e indicie de massa corporal inferiores aos demais grupos. A capacidade cardiorrespiratoria e a impulsão horizontal não apresentam diferenças significativas entre os grupos. As bailarinas clássicas e não-classicas demonstraram desempenho superior as escolares em relação a impulsão vertical, equilíbrio, coordenação e agilidade. Quanto as variáveis, flexibilidade, resistência muscular localizada e forca muscular, as bailarinas clássicas tiveram escores superiores a dos outros grupos. As comparações entre AME e aptidão física não demonstraram correlação. Neste caso, as diferenças das ocorrências de AME entre os grupos estudados, podem ser melhor explicadas pela especificidade da pratica de atividade desenvolvida em cada uma das condições investigadas.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=2228&listaDetalhes%5B%5D=2228&processar=Processar

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.