O Brincar Como Instrumento Terapêutico na Visão da Equipe de Saúde

Por: Clélia Albino Simpson, Dulcian Medeiros de Azevedo, Francisco Arnoldo Nunes de Miranda, Josefa Josete da Silva Santos e Maria Alice Rocha Justino.

Ciência, Cuidado e Saúde - v.6 - n.3 - 2007

Send to Kindle


Resumo

O ato de brincar apresenta-se como um importante recurso para a criança compreender o mundo que a cerca e o que acontece com ela, possibilitando a elaboração de conflitos, frustrações e traumas. Objetivamos investigar o nível de aceitação e eficácia das atividades voluntárias desenvolvidas no HUAC, na visão dos profissionais de saúde. Trata-se de uma pesquisa descritiva e de campo realizada num hospital público de Campina Grande - PB, em maio de 2004. Foi enviado à equipe de saúde um questionário com perguntas objetivas e subjetivas a respeito as atividades voluntárias desenvolvidas no serviço de pediatria. Dentre os 11 sujeitos da pesquisa, sete afirmaram que o trabalho consegue diminuir o período de internação das crianças e que a aceitação dos procedimentos clínicos é favorecida, interferindo de maneira positiva. Todos os entrevistados recomendariam este tipo de trabalho para outras instituições que prestam assistência à crianças. Na visão da maioria, o benefício das atividades voluntárias supera o risco de infecção cruzada. Verificamos aceitação dos profissionais de saúde diante das atividades voluntárias dirigidas às crianças internadas. Ao mesmo tempo, as recreações e brincadeiras dos palhaços diminuíram o estresse causado pela hospitalização e favoreceram a aceitação dos procedimentos clínicos realizados.

Endereço: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/4018/2715

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.