O Bullying no Ambiente Esportivo: Uma Análise de Jovens Atletas

Por: A. A. Machado, A. L. Aroni, G. Bagni, K. G. Morão e R. H. Verzani.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

No esporte competitivo, os atletas estão em contato grande parte do tempo e devido a esse contato direto entre os atletas, deve-se estar atento a brincadeiras, já que estas podem ser sadias e utilizadas como um fator de coesão da equipe, mas também é necessário o cuidado para que elas não se tornem ofensivas, dando origem ao bullying. O bullying é um fenômeno social caracterizado por atitudes agressivas contra uma vítima, que se torna alvo de brincadeiras, ironias, exclusão de atividades/tarefas, agressões físicas, morais, emocionais e/ou psicológicas, dentre outros. Em sua grande maioria, os estudos realizados sobre bullying abordam o contexto escolar e justamente este trabalho surge como forma de verificar a incidência deste fenômeno no âmbito esportivo. Frente a isso, este trabalho tem como objetivo analisar se o fenômeno do bullying também é verificado no futebol e com qual frequência e encontrar comportamentos que caracterizam o bullying e na medida do possível constatar as consequências do mesmo, como o abandono precoce. Aplicou-se um questionário com 12 perguntas fechadas desenvolvido especificamente para este estudo, sendo que os atletas poderiam assinalar várias alternativas. O trabalho foi realizado com sete equipes, totalizando 143 atletas do sexo masculino, com idade entre 15 e 18 anos, sendo todos participantes de uma competição de âmbito nacional. Os resultados indicam que os atletas já viram (55,94%), sofreram (29,37%) e praticaram (29,37%) ofensas, sendo que esta categoria apresentou maiores resultados nessas 3 questões. Além disso, os atletas relataram ver, praticar e/ou sofrer roubos, ameaças, agressões, intimidações, ato de ignorar e provocar brigas, sendo possível verificar que os jogadores confessam a prática de atitudes que caracterizam o bullying e o sofrimento das mesmas, porém apontam que em sua maioria são apenas espectadores de atos que enfatizam este fenômeno social, do que propriamente agressores ou vítimas. Também verificou-se que os locais que os atletas menos gostam são ônibus (40%), alojamentos (27%) e reuniões (25%), possivelmente por serem os locais que os atletas mais convivem e que são propensos a situações de bullying. Além disso, 6% dos atletas investigados já cogitaram o abandono da modalidade devido a situações de bullying. Conclui-se que as ações que caracterizam o bullying estão muito presentes no futebol, principalmente pelo relato de jovens atletas que já praticaram, sofreram ou observaram atitudes relacionadas ao bullying e que isso pode até levar ao abandono da modalidade. Também avaliamos que os ambientes frequentados pelas equipes podem se tornar potencializadores deste fenômeno, pois são momentos em que os atletas têm um convívio e um espaço que podem se tornar propícios aos acontecimentos, além do fato de que muitos atletas já pensaram em abandonar a modalidade devido ao bullying, porém poucos jogadores confessam ter medo de sofrer agressões na equipe.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2016 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.