Send to Kindle


Resumo

Diversas manifestações culturais e artísticas estão presentes nas cidades, sejam em espaços específicos ou os não específicos de lazer, que podem e devem ser utilizados para esta finalidade, como as ruas, as escolas, os estacionamentos, os viadutos entre outros. Dentre as diversas atividades de lazer que podem ser vivenciadas nesses espaços públicos, encontrase o circo, que extrapola sua forma de espetáculo e se manifesta de diversas maneiras. No século XXI, diferentes espaços públicos das cinco regiões do país têm se convertido em autênticos picadeiros abertos, lugares de encontro, intercâmbio e divulgação da arte circense, com prevalência das práticas malabarísticas. Esses encontros têm possibilitado ao público uma aproximação com a arte circense e tem contribuindo tanto com respeito à aprendizagem de técnicas, como na formação de público, nos seus mais diversos formatos como convenções, encontros semanais e apresentações. A cidade de São Paulo é palco de um tradicional encontro circense que acontece em um beco na Vila Madalena desde 2003, o "Circo no Beco", é semanal e conta com um público variado que pratica diversas atividades, dentre elas malabares, paradas de mãos, acrobacias de solo e outras. O presente estudo é parte de uma pesquisa mais ampla em que vários encontros de malabares paulistas estão sendo estudados, visou conhecer como o encontro foi idealizado, quais as suas principais características, além de identificar as atividades circenses praticadas e quais as motivações dos jovens para participar deste encontro. Como metodologia, foi realizado um estudo de caso, por meio de pesquisa bibliográfica e de campo. Nessa foram realizadas visitas aos encontros, com registro das observações em diário de campo e, ainda foram aplicados questionários aos participantes desse encontro. Os resultados das observações e dos questionários nos mostraram o quão diverso o circo pode ser. Dentre as modalidades circenses praticadas nos encontros do Circo do Beco foram citadas predominantemente os malabares, estando presentes também as acrobacias de solo, monociclos, pernas de pau, equilíbrios, paradas de mãos e até um treino de "atirar facas" foi observado. A predominância das práticas malabarísticas se deu ao fato da facilidade em levar os materiais e da não necessidade de estruturas especiais para a sua realização, como no caso das acrobacias aéreas por exemplo. Os encontros são marcados pela internet e os praticantes em geral tomam conhecimento dos mesmos por meio de redes sociais e do "boca a boca", tendo como fatores motivacionais a possibilidade de encontrar amigos, se divertir, treinar e divulgar o circo. Assim, acreditamos que os encontros do Circo do Beco são, para os participantes, uma forma de aproximação e difusão do circo, mas, também de vivência do lazer e de fomento da cultura juvenil. Tais encontros ainda contribuem para a formação de público, que podem frequentar esses locais e apreciar as apresentações.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.