O Corpo de Conhecimento na Formação do Profissional de Educação Física Para Atuação no Campo da Saúde: Um Estudo de Caso

Por: , D. Kirk, H. J. Ferreira e L. H. Silva.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

O modelo biomédico de assistência à saúde, com ênfase na doença, tem configurado a base da formação (graduação) e intervenção da maioria dos profissionais de educação física (EF) no âmbito da atenção primária da saúde no Brasil. Segundo alguns autores, o desequilíbrio entre as áreas Biodinâmica e Sociocultural na produção de conhecimento da EF e na formação têm contribuído para este olhar biomédico e fragmentado da atividade física sobre o processo saúde-doença. Diante deste quadro, graduações de Bacharel em EF (B-EF) com ênfase em saúde têm sido criadas como meio de adequar a formação deste profissional para este campo de intervenção. Mas, qual é a configuração do corpo de conhecimento destes novos cursos? Com o objetivo de analisar a configuração do corpo de conhecimento de um curso de B-EF com ênfase em saúde de uma renomada universidade pública brasileira, os autores da presente pesquisa, através de um estudo de caso com abordagem qualitativa, realizaram a análise do corpo de conhecimento por meio do modelo teórico e método de análise propostos por Kirk et al. (1997). Este modelo é representado por uma figura tridimensional, constituída pela intersecção de 3 eixos contínuos: I) eixo horizontal (EH) - relacionado à relação entre os conhecimentos de cunho acadêmico e profissional; II) eixo vertical (EV) - conhecimentos biodinâmico e sociocultural; e III) eixo anteroposterior (EA) - conhecimentos prático e teórico. Por meio da análise do Projeto Pedagógico e dos Programas de Ensino, cada componente curricular (CO) foi analisado para identificar a proporção entre os conhecimentos de cada eixo do modelo teórico. Por exemplo, o CO "Epidemiologia do Exercício", com carga horária de 30h, obteve a seguinte classificação: I) EH - 27h (90%) acadêmico e 3h (10%) profissional; II) EV - 22,5h (75%) biodinâmico e 7,5h (25%) sociocultural; e III) EA - 27h (90%) teórico e 3h (10%) prático. Após a realização desta mesma análise nos 52 CO do curso, correspondendo a 3.390h, obtevese a seguinte distribuição dos conhecimentos em cada eixo do modelo: I) EH - 2.021,3h (59,6%) acadêmico e 1.368,7h (40,4%) profissional; II) EV - 2.327,5h (68,7%) biodinâmico e 1.062,5h (31.3%) sociocultural; e III) EA - 2.360,2h (69,6%) teórico e 1.029,8h (30,4%) prático. Estes resultados demonstram um processo de formação do profissional de EF com ênfase para o conhecimento Acadêmico-Biodinâmico-Teórico. De acordo com Kirk et al. (1997), o equilíbrio na distribuição dos conhecimentos nos eixos do seu modelo teórico seria desejável para o treinamento de um profissional que possui alto caráter pedagógico, educacional e humanístico no exercício de sua profissão, como é o caso do profissional de EF. Outras análises precisam ser realizadas para se obter maiores informações das características destes cursos de B-EF com ênfase em saúde, os quais constituem uma tendência e, atualmente, são referência na formação do profissional de EF para atuação no campo da saúde no Brasil.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.