O Dançar do Araruna: Compondo Uma Estética do Corpo na Cultura Potiguar

Por: e Rosie Marie Nascimento de Medeiros.

Holos - n.3 - 2016

Send to Kindle


Resumo

O estudo tem a intenção de elaborar uma atmosfera estética do corpo e da cultura para a Educação Física tendo como principais componentes de reflexão as narrativas musicais do grupo Araruna e suas simbologias. Situamos esse grupo de danças tradicionais no mundo vivido fenomenológico de Merleau-Ponty, com o objetivo de compreendê-lo através da interpretação e imputação de sentidos contidos no universo estético das canções denominadas Araruna, Camaleão, Besouro, Mulher Rendeira e Mazurca. Essa musicalidade se configura como emblemático exemplar da tradição, pois mistura significações das culturas europeia e potiguar, fazendo com que o corpo habite, em sua memória, as simbologias da sexualidade, da natureza, do masculino e feminino, do sagrado e profano, do popular e erudito. Perspectivamos mobilizar outras reflexões que considerem a voz dos brincantes, o espaço, o tempo, a gestualidade da dança, o figurino, a maquiagem, entre outros componentes cênicos do Araruna, estando em sintonia com uma visão mais contemporânea da tradição. 

REFERÊNCIAS

ALVES, T. A. Módulo didático 1: Dança e pluralidade cultural. Natal/RN: UFRN, 2011.

CHAUÍ, M. Conformismo e resistência. São Paulo: Brasiliense, 1994.

CHEVALIER, J.; CHEERBRANT, A. Dicionário dos símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Tradução V. C. Silva. 20 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1982.

COSTA, G.; CAVALCANTE, J. P. M. Araruna: sociedade de danças antigas e semi-desaparecidas – orgulho e patrimônio cultural do RN. Natal/RN: SESC, 2008.

ELIADE, M. Imagens e símbolos: ensaio sobre o simbolismo mágico-religioso. Tradução S. C. Tamerl. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

MARTINS, J. S. Araruna: das naturezas histórica, material e simbólica à espacialidade da cultura. Revista GEOTemas, n.3, v.1, p. 211-225. Disponível em: http://periodicos.uern.br/index.php/geotemas/article/view/602/370. Acessado em: 20 ago. 2013.

MEDEIROS, R. M. N. Uma educação tecida no corpo. São Paulo: Annablume, 2010.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. Tradução C. A. R. Moura. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MONTEIRO, N. A. Um olhar sobre o Araruna: perspectivas para a dança na Educação Física. Natal/RN, 2007. Monografia de graduação – Departamento de Educação Física - Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal/RN, 2007.

NÓBREGA, T. P. Uma fenomenologia do corpo. São Paulo: livraria da física, 2010.

NÓBREGA, T. P. A dança como poética do corpo e da vida. Natal/RN, 2008a. Disponível em: http://petrucia-blogcorpo.blogspot.com.br/?view=flipcard. Acesso em 02 mai. 2014.

NÓBREGA, T. P. Merleau-Ponty: o corpo como obra de arte e a inexatidão da verdade. In: Cronos - Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFRN, v.9, n.2, p.393-403, jul./dez., 2008b.

PAVIS, P. A análise dos espetáculos: teatro, mímica, dança, dança-teatro, cinema. Tradução S. S. Coelho. São Paulo: Perspectiva, 2003.

PORPINO, K. O. Dança é educação: interfaces entre corporeidade e estética. Natal/RN: EDUFRN, 2006.

SARLO, B. Culturas populares, velhas e novas. In: B. SARLO (Org.). Cenas da vida pós-moderna: intelectuais, arte e vídeo cultura na Argentina. Tradução S. Alcides. 3 ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2004.

VIEIRA, M. S. Pastoril: uma educação celebrada no corpo e no riso. Jundiaí: Paco editorial: 2012.

Endereço: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/2559

Ver Arquivo (PDF)

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.