O Efeito Agudo do Alongamento na Marcha da Idosa

Por: Ricardo Martins de Souza.

73 páginas. 2006 20/02/2004

Send to Kindle


Resumo

O número de adultos idosos ao redor do mundo aumentou expressivamente ao passar das décadas, assim como a expectativa de vida global. Mudanças músculo-esqueléticas ocorrem nesta população em particular, em resposta a processos de envelhecimento. Essas mudanças podem prover modificações no padrão da marcha dos sujeit os as quais resultam em quedas. Estudos sobre a marcha têm demonstrado diminuição da velocidade confortável da caminhada, redução da amplitude de movimentação do quadril, joelho etornozelo, diminuição doafastamento do pé em relação ao solo e aumento da inclinação anterior da pelve em sujeitos idosos saudáveis. Essas mudanças são provavelmente associadas com a diminuição das propriedades visco-elásticas do
complexo músculo-tendíneo, particularmente a musculatura flexora do quadril. O encurtamento do complexo músculo-tendíneo tem sido associado com o aumentodo risco de quedas durante a marcha. Contudo, o alongamento muscular é usado para reduzir essa perda de elasticidade em razão do envelhecimento, porém os resultados não são consistentes e necessitam de futuros estudos. Portanto, aproposta deste estudo é investigar os efeitos transientes de uma única sessão de alongamento para a musculatura flexora do quadril no padrão da marcha deadultos idosos saudáveis.
 

Endereço: http://www.pgedf.ufpr.br/Dissertacoes.html

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.