O Efeito de Diferentes Programas de Intervenção no Que Se Refere à Instrução, Sobre a Competência Motora e Percepção de Competência Atlética de Crianças

Por: Ilana Santos de Oliveira.

90 páginas. 2014 14/04/2014

Send to Kindle


Resumo

Competência motora (CM), ou a proficiência em habilidades motoras, e a percepção dessa competência, também chamada de percepção de competência atlética (PCA), constituem dois importantes aspectos do desenvolvimento infantil e ambos parecem ser afetados por intervenções estruturadas de práticas motoras. Em especial, a instrução, ou a informação dada à criança sobre seu movimento e/ou tarefa a ser realizada, parece ser um fator que requer ser mais bem investigado em programas de intervenções motoras. Especificamente, os tipos de instrução usados nos programas de intervenção podem contemplar tanto restrições organísmicas (foco na qualidade do movimento do aprendiz), quanto restrições da tarefa (foco nas pistas ambientais). Resultados controversos na literatura ainda não permitem estabelecer que tipo de instrução é mais eficaz para a CM e/ou para a PCA nfantil. O objetivo deste estudo foi investigar o efeito de dois diferentes tipos de instrução sobre a CM e PCA de escolares. Este é um estudo quase-experimental, com desenho de pré e pós-intervenção, aprovado por um Comitê de Ética Local. A amostra foi composta por 63 crianças na fase da meia infancia (média de idade = 8,2 anos; DP=0,4), divididas em 3 grupos: G1 ? instrução sobre a qualidade/mecânica do movimento, G2 ? instrução apenas sobre as pistas ambientais, e GC ? grupo controle. As crianças foram avaliadas quanto à massa corporal (Kg), estatura (m) e IMC (Kg/m²) no momento pré-intervenção. Nos momentos pré e pós-intervenção, a CM foi avaliada quanto ao processo do movimento - TGMD-2 (ULRICH, 2000) e quanto ao produto do movimento ? MAT (IKEDA; AOYAGY, 2009); a partir disso, foi calculada a CM geral (escore z). A PCA foi avaliada mediante o questionário Self-Perception Profile for Children - SPPC (HARTER, 1985). As intervenções aconteceram durante as aulas de Educação Física, por um período de seis semanas, sendo duas sessões semanais de 50 minutos cada, resultando num tempo total de 600 minutos de duração. As comparações intragrupos (Teste de Wilcoxon) mostraram que: quanto à CM, houve diferença estatisticamente significante do momento pré para pósintervenção, mostrando que houve melhoria no desempenho motor de meninos e meninas apenas no G2 (p=0,01); para a PCA, apenas as meninas do G2 apresentaram melhoria significante da pré para a pós-intervenção (p=0,01). A partir do delta da diferença pré para pós-teste, as comparações intergrupos (Teste de Kruskal-Wallis) mostraram que houve diferenças significantes entre os grupos quanto à CM (p=0,01), sendo o G2 superior ao G1 e ao GC; entretanto, não foram 6 observadas diferenças entre os grupos para a PCA (p=0,67). A instrução com pistas ambientais melhorou a CM e PCA dos escolares de meia-infância. Considerando o gênero, as meninas tiveram sua CM e PCA especialmente afetadas pela instrução com pistas ambientais. Especificamente quanto à CM, a instrução com pistas ambientais foi mais eficaz do que a instrução sobre a qualidade do movimento e o grupo controle.

Endereço: http://w2.atrio.scire.net.br/upe-papgef/pub/ThesisViewAll.do?method=viewAll&id=96&pg_query=1639214062144323&pg_range=5

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.