O Efeito da Intensidade do Exercício Prévio Sobre a Cinética do Consumo de Oxigênio Durante a Corrida

Por: Paulo Cesar do Nascimento.

87 páginas. 2014 27/02/2014

Send to Kindle


Resumo

O consumo de oxigênio (VO2) mensurado a nível pulmonar reflete as mudanças no metabolismo oxidativo nos tecidos ativos. O objetivo deste estudo foi analisar o efeito de dois diferentes tipos de exercício prévio (corrida contínua versus sprints repetidos intermitentes – IRS) sobre a cinética do VO2 no domínio severo durante a corrida. Participaram deste estudo 13 jogadores amadores de futsal do sexo masculino (Idade: 22,8 ± 6,1 anos; massa corporal: 76,0 ± 10,2 kg; estatura: 178,7 ± 6,6 cm; VO2max: 58,1 ± 4,5 ml.kg.min-1) que foram submetidos a um teste incremental máximo em esteira rolante para determinação do primeiro limiar ventilatório (LV) e do consumo máximo de oxigênio (VO2max). Em dois dias diferentes, os indivíduos realizaram uma carga constante de seis min de exercício severo (50% da diferença entre o LV e o VO2max, Δ 50) em esteira seis min depois de: (1) uma carga idêntica no domínio severo (controle) e; (2) um protocolo de IRS (6 x 40 m, 1 min de recuperação passiva). Foi aplicada a correlação de Pearson para avaliar a relação entre os índices analisados. O efeito principal para todas as variáveis analisadas foi determinado utilizando a análise de variância (ANOVA) de medidas repetidas. Adotou-se um nível de significância de p ≤ 0,05. A constante tempo do componente primário (τp) não foi significativamente mais rápida em nenhuma das condições (controle = 16,0 ± 6,3 s; severo prévio = 14,3 ± 5,4 s; IRS prévio = 12,3± 6,2 s). Os sprints prévios elevaram de maneira significativa as concentrações de lactato sanguíneo ([La]; ~11 mmol.L-1), o VO2baseline (0,93 L.min-1) e a frequência cardíaca (FC; 124 bpm) antes do início do exercício severo. Entretanto, ambos severo e IRS prévio aumentaram significativamente a amplitude primária (Ap) absoluta (3,77 L.min-1 e 3,79 L.min-1, respectivamente), reduziram a amplitude do componente lento (As; 0,26 L.min-1 e 0,21 L.min-1, respectivamente) e o mean response time (MRT; 28,9 s e 28,0 s, respectivamente) na mesma magnitude durante as cargas subsequentes (p < 0,05). Este estudo demonstrou que diferentes modos e intensidades de exercício prévio não aceleram a fase primária (τp) da cinética de VO2 e provocam similar efeito sobre resposta total de VO2, bem como, no componente lento de VO2 na intensidade do domínio severo na corrida.
Palavras-chave: exercício prévio, cinética do consumo de oxigênio, lactato sanguíneo, corrida de intensidade severa.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.