Send to Kindle


Amigos:

         Sei que estou um tanto atrasado com as notícias, mas como havia dito anteriormente, estou num processo de recuperação de fatos de importância para a gestão da experiência de lazer ocorridos comigo neste segundo semestre.

         Como falei em textos anteriores, tive o privilégio de participar do grupo que organizou o 23º. ENAREL (Encontro Nacional de Recreação e Lazer), que foi realizado no Ibiquá Eco-Resort, próximo de Avaré/SP, nos dias 22-24 de setembro passado.

         O tema do evento como um todo foi “Lazer e Sustentabilidade” e, confesso, havia tempo que não participava tanto de uma edição de ENAREL pois tive a oportunidade de apresentar dois trabalhos na sessão de “Temas Livres”, coordenar a sessão de “Encontros Temáticos” e ainda, “de sobra”, pela primeira vez desde a sua existência (do qual contribui para sua criação em 1989), me convidaram para fazer a palestra de abertura do evento.

         O grupo, liderado pelo Prof. Luiz Fernando e tendo a Daniela (Vital Eventos) como responsável por toda infraestrutura demonstraram ter muita competência, criando um espaço adequado para debates sobre tão importante tema (fiz uma breve pesquisa, via Google para a palestra que dei e só neste ano, nas áreas correlatas ao lazer, foram desenvolvidos mais de uma dezena de encontros científicos com a temática “sustentabilidade”!)

         Na palestra de abertura recebi como “encomenda” falar sobre a “sustentabilidade” do próprio ENAREL! Percebi, desta vez de perto, as dificuldades existentes para se captar recursos para a realização de um evento dessa natureza sem estar atrelado, juridicamente, a um órgão específico. Por essa razão, voltou a ganhar força a idéia de se formalizar a rede desestruturada  hoje existente numa associação que venha lhe dar o devido respaldo organizacional. Esse deverá ser mais um tema de debates para o ENAREL de 2012 a ser realizado em São Luiz/MA de 21-24 de agosto, parte das comemorações dos 400 anos daquela bela capital.

         Além de “desconstruir” meu próprio conceito de lazer que publiquei na LICERE em 1998 (…”decretei” a morte do lazer…), também fiz algumas considerações sobre sustentabilidade e lazer para finalmente apresentar um plano de curto, médio e longo prazo para que o ENAREL encontre a “habilidade” de se “sustentar” (“plagiando” aqui a Geórgia/SESI-DN na sua apresentação na mesa-redonda sobre esse assunto).

         Queria, finalmente dizer, que a grande experiência pessoal que tive nesse evento foi coordenar um grupo de profissionais que ficaram encarregados dos seis grupos que debateram, simultaneamente, suas especificidades nos “Encontros Temáticos”. Queria também aqui, em público, agradecer essas pessoas: Leila Mirte de Magalhães Pinto (Encontro de Gestores Públicos de Recreação e Lazer), Sidnei Teixeira Castro Gestores (Privados de Recreação e do Entretenimento), Luiz Wilson Pina (Recreação e Lazer no Sistema “S”), Tiago Aquino-Paçoca (Animadores Socioculturais da Recreação e do Lazer), Sérgio Teixeira Castro (Terceiro Setor na Recreação e no Lazer) e Gisele Maria Schwartz (Docência, Pesquisa e Extensão na Recreação e no Lazer).

         Semana que vem, em pleno dezembro (!), quero falar sobre como foi meu mês de outubro e o que aconteceu, dentro dos temas que tenho abordado neste espaço. Como maio é o “Mês das Noivas”, creio que podemos chamar outubro, “Mês dos Congressos no Brasil!”

         Forte abraço.

Bramante

Por Bramante
em 12-12-2011, às 12:06

5 comentários. Deixe o seu.

Comentários

Prof Bramante,
Tal qual aquele avoante que chega depois de tudo acabado, tenho estado de olho e faro na documentação do ENAREL, dos trabalhos apresentados. Temos na biblioteca do CEV a coleção completa de alguns poucos congressos, e muitas edições esparsas de outros, como o ENAREL. O pessoal está tratando disso?
De vez em quando consulto o nosso Primeiro Congresso Brasileiro de Educação Física.
http://cev.org.br/eventos/i-congresso-brasileiro-educacao-fisica , cujo programa pode dar muito o que falar(e estudar), pelo que a turma debatia em 1925.
Laércio

Por Laercio Elias Pereira
em 12-12-2011, às 15:05.

Prof. Laércio
Sua inquietação é também minha. Essa documentação, creio eu, existe e ela foi muito bem pesquisada pelo Prof. Marcellino e Prof. Hélder que resultou no livro “ENAREL, 21 Anos de História”, editado pelo Ministério do Esporte e lançado na edição do referido evento em 2010.
Vejo duas perspectivas para superar essa “dispersão” de conhecimentos acumulados ao longo de quase um quarto de século:
1. Que alguma “alma caridosa” se interesse pelo assunto e escreva uma dissertação trazendo à luz as razões objetivas e subjetivas que deram origem e desenvolvimento a esse evento;
2. Que “vingue” a idéia de estruturar a atual rede, hoje desarticulada, que ainda conduz o ENAREL.
Trata-se de um tema que merece melhores debates meu caro Laércio…

Por Antonio Carlos Bramante
em 12-12-2011, às 23:01.

Prof. Bramante boa noite,
Que saudade! mas tenho sempre notícias suas. Do Acre para Portugal. Cá estou a fazer, finalmente, meu doutoramento. Estou na Universidade do Porto. Estudando a área de tempo livre e lazer. Espero estar no próximo ENAREL. E vou precisar muito dos seus ensinamentos.
Um grande abraço,
Lucy (UFAC) Acre.

Por Lucicleia Barreto Queiroz
em 12-12-2011, às 23:18.

Lucy! Que coisa boa! Não virás para o Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Lígua Portuguesa, que será realizado em BH de 02-05 de abril próximo? Estou à disposição para conversarmos! Tb quero ir para Portugal…rs

Por Antonio Carlos Bramante
em 21-12-2011, às 22:57.

Olá Professor,

Estou tentando concluir duas tarefas que me foram passadas pela minha orientadora. Então estarei mais tranquila para ir à Belo Horizonte. Farei de tudo pra ir. Espero revê-lo. Um grande abraço
Lucy

Por Lucy
em 12-02-2012, às 18:54. 

Endereço: https://web.archive.org/web/20150425134614/http://blog.cev.org.br/bramante/2011/o-enarel-deste-ano/

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.