O Ensino de Dança na Educação Física: Prescrições Históricas e Escolarização

Por: .

Arquivos em Movimento - v.15 - n.2 - 2019

Send to Kindle


Resumo


elisangela chaves

Resumo

A partir das prescrições e projetos de ensino produzidos para as instituições de ensino, como a escola e os cursos de formação de professores, na primeira metade do século XX no Brasil, há um conjunto de indícios, vestígios e memórias que tem nestes espaços a perspectiva de movimentos de ressignificações de discursos e práticas, sobre o corpo a ser educado. O ensino da dança nas prescrições curriculares em Minas Gerais é caracterizada pela educação corporal através do aprendizado de “cortesias”, “posições graciosas”, “ritmo”, da aquisição de “saúde e higiene”. Um movimento que na Legislação do Ensino de Minas Gerais, se inicia na reforma de 1925, na qual a dança é incluída como uma das práticas escolares dos conteúdos dos então chamados Exercicios Phisicos, que também compunham a nova proposta educacional. A dança na cultura escolar mineira, presente nas comemorações e festividades escolares, distingue-se das manifestações consideradas modernas, que neste período expressavam-se nos salões de festa, mas vislumbrava sua relação como saber para a vida social.

Referências

COMPAGNE, E. M. Diccionario universal de educação e encino, transladado em portugués por Camillo Castello Branco. Porto: Libraría Internacional de Ernesto Chardron, Casa Editora, Lugan e Genelioux, Sucessores, 1886. v. I.

REVISTA DO ENSINO. Belo Horizonte: Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, 1925 – 1937.

MINAS GERAIS. Decreto n. 3.405 – 15 de janeiro de 1912. Aprova o programa de ensino dos grupos escolares e demais escolas públicas primárias. Colleção das Leis e Decretos do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1912.

MINAS GERAIS. Decreto n. 6.758 – 1o de janeiro de 1925. Aprova o Programa do Ensino Primário. Colleção das Leis e Decretos do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1925.

MINAS GERAIS. Decreto n. 6.832 – 20 de março de 1925. Aprova os regulamentos e os programas de ensino das escolas Normais. Colleção das Leis e Decretos do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1925.

BURKE, Peter. Abertura: A nova história, seu passado e seu futuro. In: BURKE, Peter.(org) A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 1992.

CAMPOS, Marcos Antônio Almeida. Histórias entrelaçadas: presença da dança na Escola de Educação Física da UFMG (1952-1977). Belo Horizonte, 2007. 204p. Dissertação (Mestrado em Educação) Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

CHARTIER, Roger. In: À beira da falência: a história entre certezas e inquietudes. Porto Alegre, Universidade/UFRGS, 2002. p. 61-79.

CHAVES, Elisângela. A Escolarização da dança em Minas Gerais (1925-1937). Belo Horizonte, 2002. 159 p. Tese (Mestrado em Educação) Faculdade de Educação da UFMG, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2002.

CHAVES, Elisângela. Uma escola de graça, saúde e beleza: Natália Lessa, a dança e a educação da feminilidade. Belo Horizonte, 2013. 233p. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Educação da UFMG, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

CHERVEL, André. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria e Educação: Porto Alegre, 1990, n.2, p.177-229.

CORBIN, Allan; COURTINE, Jean-Jacques; VIGARELLO, Georges. História do Corpo. As mutações do olhar, o século XX- Introdução. Petrópolis-RJ: Vozes, 2008.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das letras, 1989. p. 143-179.

GOELLNER, Silvana V. Bela, maternal e feminina: imagens da mulher na Revista Educação Physica. Campinas: Campinas, 2003.

OLIVEIRA, Marcus A. Taborda.(org) Sentidos e sensibilidades: sua educação na história. Curitiba: Ed. UFPR, 2012.

SEVCENKO, Nicolau. Orfeu estático na metrópole: São Paulo, sociedade e cultura nos frementes anos 20. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

SOARES, Carmem Lúcia (org.) Corpo e história. Campinas, SP: Autores Associados, 2006. p. 109-130.

MARTINI, Cristiane. O. P. Festas, bailes, partidas e contradanças: as danças de sala do Bello Horizonte de 1897 a 1936. Dissertação (Mestrado em Lazer) Escola de Educação Física/ UFNG, Belo Horizonte, 2010.

MELO, Victor Andrade de. A Escola Nacional de Educação Física e Desporto: uma possível história. 1996. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

MELO, Victor Andrade. Experiências de ensino da dança em cenários não escolares no Rio de Janeiro do século XIX (décadas de 1810-1850). Movimento (ESEFID/UFRGS), Porto Alegre, p. 497-508, dez. 2015. ISSN 1982-8918. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2019. doi:https://doi.org/10.22456/1982-8918.56852.

MELO, Victor Andrade. A dança nas escolas do Rio de Janeiro do século XIX (décadas de 1820-1860). Revista Brasileira de História da Educação, Maringá-PR, v. 16, n. 3 (42), p. 323-352, jul./set. 2016. p-ISSN: 1519-5902, e-ISSN: 2238-0094. Disponível em: http://www.rbhe.sbhe.org.br. Acesso em: 20 jul. 2019. Doi: http://dx.doi.org/10.4025/rbhe.v16i3.805.

Endereço: https://revistas.ufrj.br/index.php/am/article/view/27837

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.