O Ensino da Educação Física: Representações Socias e Desafios

Por: Marcia da Silva Damazio.

58 Reunião Anual da SBPC

Send to Kindle


INTRODUÇÃO:

O objetivo deste trabalho é refletir sobre o ensino da educação física nas escolas públicas, identificando as limitações que lhe são impostas e avaliando as expectativas que a sociedade tem em torno deste componente curricular. Concebemos a escola pública como o ponto de interseção das contradições sociais, como também das esperanças por uma sociedade democrática. A educação física tem sua contribuição a dar diante desta tarefa, porém diversos fatores podem interferir no trabalho pedagógico, como por exemplo, a qualificação profissional, a valorização do trabalho docente, as condições materiais das escolas, a organização do tempo e do espaço escolar e a estrutura administrativa da instituição. Apontamos alguns questionamentos para conduzir o estudo: Quais as representações em torno da educação física? Qual a sua função social? Que valor ela tem recebido no espaço da escola pública? Quais as condições para o ensino da educação física na rede pública de ensino? Que fatores influenciam no desenvolvimento de um trabalho de qualidade pela educação física? Para realizarmos esta reflexão, decidimos considerar o discurso dos membros da comunidade escolar e observar o cotidiano da educação física para analisarmos mais atentamente este fenômeno que nos inquieta.


 METODOLOGIA:

Trata-se de um estudo descritivo em que fizemos uso das contribuições da tanto da abordagem qualitativa quanto quantitativa, que no nosso entendimento não se opõem no processo de investigação. Os dados foram coletados em 10 unidades escolares, sendo 7 localizada no Município de Teresópolis e 3 no Município do Rio de Janeiro (RJ). As escolas oferecem o Ensino Fundamental e o Ensino Médio, sendo que uma escola também oferece a Educação Infantil. Questionários foram distribuídos entre alunos (60), equipe pedagógica (20) e responsáveis de alunos(20). Pautados no referencial da Representação Social, analisamos os dados obtidos, destacando categorias para análise a partir do discurso dos sujeitos, a fim de identificar as representações e expectativas em torno da educação física. A educação física como área de conhecimento é apropriada pela população leiga e por outros profissionais que atuam na escola, que por sua vez, re-elaboram por seus meios, o saber veiculado socialmente em torno desta área do conhecimento. Avaliamos as condições de espaço e das instalações para o ensino da educação física nas unidades escolares, através de roteiro de observação, fazendo uso de processo quantitativo para análise.


 RESULTADOS:

Nos limites deste estudo, identificamos que a educação física está associada à busca pela saúde, pelo ensino de esportes e pelo preparo e desenvolvimento físico. As expectativas e representações giram em torno destes aspectos, denotando uma concepção higienista e tecnicista por parte dos sujeitos que participaram deste estudo.

Para a equipe pedagógica a educação física tem como objetivos: cuidar do corpo, desenvolver estruturas psicomotoras, socializar e desenvolver valores morais. A pouca qualidade do ensino está associada ao não compromisso dos professores com as questões pedagógicas e à estrutura curricular e administrativa da escola.

Os responsáveis consideram que os objetivos e as atividades pedagógicas são limitados pela falta de qualificação profissional dos professores de educação física e pela forma de inserção desta disciplina na dinâmica curricular.

O espaço físico e as instalações para o ensino da educação física estão em condições precárias na maioria das escolas. Inúmeros aspectos não são considerados no planejamento, na execução e na distribuição do espaço nos prédios escolares. Identificamos quadras não cobertas, sem marcações, dimensões inapropriadas ao número de alunos, não preocupação com cuidado estético, ausência de condições de higiene, de segurança e de espaços para momentos "livres".


 CONCLUSÕES:

Os dados indicam que as concepções de educação física "higienista" e "tecnicista" estão presentes nas representações sociais. As famílias e os alunos destacam seu valor social, mas consideram as disciplinas heurísticas mais importantes. Tudo indica que a disciplina não tem conteúdos que lhe sejam próprios além dos esportes tradicionais. As vertentes psicomotora e humanista fazem parte do entendimento da educação física para a equipe pedagógica.

Ainda, destacamos a problemática do espaço físico que merece atenção das autoridades, arquitetos e educadores. O espaço também educa, mas este aspecto vem sendo negligenciado no planejar e construir escolas. Os sujeitos que responderam os questionários, como as observações realizadas, apontam para a falta de atenção diante das condições materiais peculiares ao ensino da educação física.

Consideramos que a educação física pouco tem avançado no interior das escolas. Questionamos os motivos e relacionamos alguns pontos que merecem atenção em outros estudos: a qualificação e o compromisso do professor, a valorização social da disciplina, a ausência de consenso em torno do conteúdo, a estrutura curricular e organizacional da escola, pois estes elementos se articulam no cotidiano interferindo no trabalho pedagógico. Concordando com Anísio Teixeira, os espaços físicos merecem investimentos e planejamento cuidadoso. Também ressaltamos a necessidade de rever a formação do professor, e de modo particular, no campo da educação física.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.