O Espelho Positivo

Por: Éden Silva Pereti.

Motrivivência - v.15 - n.21 - 2003

Send to Kindle


Resumo

Estas poucas linhas que se seguem são fruto de um livre exercício. A liberdade do exercício da palavra. O exercício da liberdade no diálogo entre elementos científicos e uma escrita literária. Um livre exercício de imaginação, onde o impossível se oferece como possibilidade. E é justamente este contexto que oferece a oportunidade para que o cientista Auguste Comte, um dos principais progenitores da perspectiva positivista de ciência, se depare com sua imagem nua, branca e desvelada, sob os esquadros de um espelho. Ao manter-se distante de uma vigilância histórica e cronológica, o texto a seguir visa somente atrever-se nos meandros de alguns elementos que atravessam a perspectiva empírico-analítica de investigação científica, construindo assim uma situação fictícia e inusitada. E é por isso que cabe aqui o pedido para que nos dispamos de preconceitos e ressalvas, pois é na nudez da pele e do espírito, seja ele positivo ou não, que se encontra tatuada a beleza do conhecimento, seja científico ou poético. Palavras chave: Corpo, literatura, ciência, Auguste Comte, perspectiva empírico-analítica.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/932

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.