O Esporte na Qualidade de Vida de Indivíduos com Lesão da Medula Espinhal: Série de Casos

Por: , ângela Farah Marçal, Antonio Carlos Dourado, Fausto Orsi Medola e Rosangela Marques Busto.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.17 - n.4 - 2011

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO: A lesão da medula espinhal é um trauma de impacto físico e social ao indivíduo, que acarreta profundas modificações na vida de seus portadores pela paraplegia ou tetraplegia resultante. O objetivo deste estudo foi avaliar a percepção da qualidade de vida de indivíduos com lesão da medula espinhal, antes e após um período de treinamento esportivo.
MÉTODOS: Participaram do estudo 16 indivíduos paraplégicos por lesão da medula espinhal, que realizaram treinamento esportivo da modalidade basquetebol em cadeira de rodas, com duração de duas horas por dia e frequência de duas vezes por semana, por um período de um ano. Para avaliação da qualidade de vida PRÉ e PÓS o período de treinamento, foi utilizado o questionário SF-36.
RESULTADOS: Houve melhora geral na qualidade de vida (p = 0,006) dos participantes quando considerados os escores de todos os domínios do questionário somados PRÉ (605,7) e PÓS (651,9) treinamento. Ainda, analisando de forma específica, foi observada melhora com significância estatística na capacidade funcional (p = 0,004), estado geral de saúde (p = 0,001) e aspectos emocionais (p = 0,02). 
CONCLUSÃO: O treinamento esportivo mostrou-se benéfico, promove melhora na qualidade de vida de pessoas com lesão da medula espinhal que necessitam de cadeira de rodas para mobilidade e representa novos objetivos e desafios na continuidade no processo de reabilitação.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922011000400008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.