O Estatuto da Fifa e a Igualdade de Gênero no Futebol: Histórias e Contextos do Futebol Feminino no Brasil

Por: Caroline Soares de Almeida.

FuLia - v.4 - n.1 - 2019

Send to Kindle


Resumo

Este ensaio procura analisar as mudanças ocorridas no Futebol Feminino brasileiro a partir da introdução da igualdade de gênero no estatuto da FIFA, em 2016. Depois de anos de banimentos e exclusões, ações para o fortalecimento do Futebol Feminino – e de mulheres que atuam como profissionais na área – ganharam certo espaço na agenda da CBF. No entanto, a disparidade existente nas relações de gênero, no contexto futebolístico nacional, mostrou-se bastante latente em pouco tempo. Para tanto, apresento uma reflexão sobre os relatos observados durante o trabalho de campo – realizado no interior do estado de São Paulo – e as notícias publicadas em diferentes veículos de comunicação sobre essa temática.

Referências

ALMEIDA, Caroline S. Do sonho ao possível: projeto e campo de possibilidade nas carreiras profissionais de futebolistas brasileiras. (Tese de Doutorado). Antropologia social, Florianópolis, Universidade Federal de Santa Catarina, 2018.

ALMEIDA, Caroline S. Mulheres futebolistas: debates sobre violência e moral durante o Estado Novo brasileiro. Lusotopie, n. 18, 2019, p. 99-122.

BESSE, Susan. Modernizado a desigualdade: reestruturação da ideologia de gênero no Brasil, 1914-1940, São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1999.

BRAKE, Deborah. Getting in the Game: The IX and the Women’s Sports Revolution. New York: New York University Press, 2010.

FÉDÉRATION INTERNATIONALE DE FOOTBALL ASSOCIATION. Estatutos de La FIFA: Reglamento de Aplicación de los Estatutos; Reglamento del Congreso. Zurique: FIFA, 2016. Disponível em: http://bit.ly/2XudEhp.

FRANZINI, Fábio. Futebol é “coisa pra macho”? Pequeno esboço para uma história das mulheres no país do futebol. Revista Brasileira de História, n. 50, v. 25. São Paulo, 2005, p. 316-328.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Mulheres e futebol no Brasil: entre sombras e visibilidades. Revista Brasileira de Educação Física, v. 19, n. 2. São Paulo: abr.-jun. 2005, p. 143-151.

PISANI, Mariane. Sou feita de chuva, sol e barro: o futebol de mulheres praticado na cidade de São Paulo. (Tese de Doutorado). Antropologia Social, São Paulo, Universidade de São Paulo, 2018.

RIAL, Carmen. El invisible (y victorioso) fútbol practicado por mujeres en Brasil. Nueva Sociedad, 248, 3, 2013, p. 114-126.

RIAL, Carmen. New Frontiers: The Transnational Circulation of Brazil’s Women Soccer Players. In: AGERGAARD, Sine; TIESLER, Nina Clara (Eds.). Women, Soccer and Transnational Migration. London, New York: Routledge, 2014.

WILLIAMS, Jean. Women’s Football, Europe and Professionalization 1971-2011: Global Gendered Labor Markets, Foomi-net Working Papers, n. 1, 2011. Disponível em: http://www.diasbola.com/uk/foomi-source.html.

WILLIAMS, Jean. A beautiful game: International Perspectives on Women’s Football, 2007.

Endereço: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/14964

Tags: , ,

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.