O Futebol-arte Brasileiro: Uma Tradição Continuamente Reinventada e Contestada

Por: José Carlos Marques e Nathaly Barbieri Marcondes César.

FuLia - v.3 - n.2 - 2018

Send to Kindle


Resumo

O futebol brasileiro, desde a primeira metade do Século XX, tem sido comumente associado a uma prática em que predominariam as noções de magia, habilidade, fantasia e espetáculo, muito em função da valorização das individualidades e da capacidade de driblar de nossos atletas. Se, por um lado, há uma legitimação – especialmente pelo discurso midiático – de que o futebol brasileiro é caracterizado por meio do futebol-arte, alguns estudos acadêmicos das últimas duas décadas no Brasil, por outro lado, problematizam ou recusam essa caracterização quando se observa o futebol nacional, especialmente o praticado pela Seleção Brasileira. Assim, este artigo procura verificar como a visão fundada por Gilberto Freyre (1938) a respeito do futebol-arte ainda mantém força, renovada a cada Copa do Mundo especialmente por emissoras televisivas, ao passo que outros discursos procuram desmistificar tal visão.

Texto completo:

PDF

Referências

DAMATTA, Roberto. Antropologia do óbvio. Revista USP. São Paulo, n. 22, p. 10-17, jun-jul-ago, 1994.

DAMATTA, Roberto. Esporte na Sociedade: Um Ensaio sobre o Futebol Brasileiro. In: DAMATTA, Roberto. Universo do Futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1982.

DAMO, Arlei. Do dom à profissão: a formação de futebolistas no Brasil e na França. São Paulo: HUCITEC, 2007.

FRANCO JÚNIOR, Hilário. Brasil, país do futebol?. Revista USP, São Paulo, n. 99, p. 45-56, set.-nov. 2013.

FRANZINI, Fábio. As raízes do país do futebol: estudo sobre a relação entre o futebol e a nacionalidade brasileira (1919 – 1950). 2000. 153 f. Dissertação (Mestrado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

FREYRE, Gilberto. Foot-ball mulato. Diário de Pernambuco, Recife, 17 jun. 1938.

GASTALDO, Édison. A Pátria na “imprensa de chuteiras”: futebol, mídia e identidades brasileiras. In: ANPOCS, XXVII, 2003, Caxambu. Encontro Anual da ANPOCS – Associação Nacional em Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais. Congresso, ANPOCS.

GASTALDO, Édison. Pátria, chuteiras e propaganda: o brasileiro na publicidade da Copa do Mundo. São Paulo: Annablume; São Leopoldo: Ed. Unisinos, 2002.

GUEDES, Simoni Lahud. A produção das diferenças na produção dos ‘estilos de jogo’ no futebol: a propósito de um texto fundador. In BUARQUE DE HOLLANDA, B. B.; BURLAMAQUI, L. G. (Orgs.). Desvendando o jogo – nova luz sobre o futebol. Niterói: Editora da UFF – FAPERJ, 2014.

HELAL, Ronaldo. Heróis Malandros?. O Globo, Rio de Janeiro, 02 nov. 2012.

HELAL, Ronaldo; GORDON, Cesar. A crise no futebol brasileiro: perspectivas para o século XXI. ECO-PÓS, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 37-55, 2002.

HOBSBAWN, Eric; RANGER, Terence (Orgs.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

MARANHÃO, Tiago. “Apolíneos e dionisíacos” – o papel do futebol no pensamento de Gilberto Freyre a respeito do “povo brasileiro”. Análise Social. Lisboa, v. 41, n. 179, p. 435-450, 2006.

MARQUES, José Carlos. O futebol em Nelson Rodrigues. São Paulo: Educ, 2012.

MARQUES, José Carlos; MARCONDES, Nathaly B. A vinheta oficial da FIFA para a Copa do Mundo de 2014 e o futebol-arte de Gilberto Freyre: aproximações estéticas e apropriação publicitária. Eptic (UFS), v. 18, p. 133-149, 2016.

MARQUES, José Carlos; MARCONDES, Nathaly B. Um por todos, todos por um: a individualidade e o “futebol arte” brasileiro analisados em três momentos da Copa do Mundo de 2014. In: ARAÚJO, Allyson Carvalho (Org.). Copa do Mundo 2014: debates sobre mídia e cultura. Natal: EDUFRN, 2015, v. 1, p. 115-144.

MÁXIMO, João. Memórias do futebol brasileiro. Estudos Avançados. São Paulo, v. 13, n. 37, p. 179-188, 1999.

PASOLINI, Pier Paolo. O gol fatal. Folha de S. Paulo. São Paulo: 06 mar. 2005. Caderno Mais!, p. 4.

ROSENFELD, Anatol. Negro, Macumba e Futebol. São Paulo: Perspectiva: Editora da Universidade de São Paulo; Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1993.

SANTORO, Marco A.; SOARES, Antônio J. G. A memória da Copa de 1970: esquecimentos e lembranças do futebol na construção da identidade nacional. Campinas: Autores associados, 2009.

SOARES, Antônio J.; HELAL, Ronaldo; SANTORO, Marco A. Futebol, imprensa e memória. Revista Fronteiras – estudos midiáticos. São Leopoldo, v. 6, n. 1, p. 61-78, jan/jun 2004.

SOARES, Antônio J.; LOVISOLO, Hugo R. Futebol: a construção histórica do estilo nacional. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 25, n. 1, p. 129-143, set. 2003.

VOGEL, Arno. O momento feliz – reflexões sobre o futebol e o ethos nacional. In: DAMATTA, Roberto et al. Universo do Futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1982.

WISNIK, José Miguel. Veneno remédio: o futebol e o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

Endereço: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/13643

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.