O Higienismo e a Educação Física Brasileira

Por: Enny Vieira Moraes.

V Encontro de História do Esporte, Lazer e Educação Física - CHELEF

Send to Kindle


Resumo

A  proposta  deste  estudo  foi  analisar  a  influência  do  movimento  higienista,  através  de  seus  princípios positivistas  e liberais  na  educação  física  brasileira.  Neste  sentido  e,  tomando  a  história  como  linha  de  pesquisa,   foi   utilizada  a pesquisa  descritiva,  buscando-se  a efetivação  do   presente   estudo.  Como  referencial  teórico fundamentador,   buscou-se  principalmente  aqueles  elaborados   por   Jurandir  Freire  Costa,  Margareth  Rago  e Carmem  Lúcia Soares, para  auxiliar  no entendimento  sobre  a  atuação  do  movimento  higienista  na sociedade  e  na educação  física brasileira.  Deste  modo,  passou-se  a  analisar  as conseqüências  políticas de  um  corpo  que  se  submeteu  às  disciplinas  e  normas  burguesas  da  higiene,  as  quais,  através  da  educação  física,  trabalharam  padronizando  e  normatizando  homens,  mulheres  e  crianças.  Posteriormente  se  analisou  os  depoimentos  de  professores  de  educação  física da UFAL  (Universidade   Federal   de   Alagoas),  buscando-se   perceber   se  os  princípios do   higienismo   continuam  presentes  no  ideário  e  no  agir  profissional   desses  docentes.  Observou-se  também  que a maioria  dos  entrevistados  não  manifestaram  ter  consciência  dessa  influência,  possivelmente  em  razão  da  pouca atenção dada  a este  tema,  até   recentement

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.