O Impacto dos Traços de Perfeccionismo na Motivação de Atletas de Futebol de Alto Rendimento

Por: Francielle Cheuczuk, Joao Ricardo Nickenig Vissoci, José Luiz Lopes Vieira, José Roberto Andrade do Nascimento Junior, , Leonardo Pestillo de Oliveira, Luciana Ferreira e Pâmela Norraila da Silva.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.17 - n.5 - 2015

Send to Kindle


Resumo

Este estudo investigou o impacto dos traços de perfeccionismo na motivação autodeterminada de atletas de futebol de alto rendimento. Participaram da pesquisa, atletas profissionalizados e não-profissionalizados de um clube da primeira divisão do campeonato brasileiro de futebol, totalizando 182 sujeitos. Como instrumentos, foram utilizadas a Escala de Motivação para o Esporte e a Escala Multidimensional de Perfeccionismo. Os dados foram coletados por meio do contato direto com os sujeitos da pesquisa, em horários de treinamento, previamente agendados para a aplicação dos instrumentos de medida, que foram respondidos de forma individual com duração media de 35 minutos. Na análise dos dados, utilizou-se o teste de Mann-Whitney, correlação de Spearman e Regressão Simples (p<0,05). Os resultados evidenciaram que os jogadores profissionalizados apresentaram maior nível nas regulações de motivação autodeterminada, em comparação aos atletas não-profissionalizados (p<0,05), bem como os jogadores não profissionalizados se mostraram mais desmotivados (p=0,002). Os jogadores profissionalizados apresentaram escores superiores nos domínios de perfeccionismo adaptativo em comparação aos não-profissionalizados (p<0,05). O perfeccionismo adaptativo apresentou significativo impacto (p<0,05) nas regulações de motivação autodeterminada nos jogadores profissionalizados, enquanto o perfeccionismo mal-adaptativo apresentou efeito (p<0,05) sobre a regulação externa dos jogadores não-profissionalizados. Concluiu-se que, para atletas que atingem o profissionalismo, o perfeccionismo adaptativo é um elemento interveniente para o desenvolvimento da motivação autodeterminada. Por outro lado, para atletas em formação (não profissionalizados), o perfeccionismo mal-adaptativo pode influenciar o aumento do comportamento regulado por fatores externos 

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2015v17n5p601

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.