O Jogo Como Conteúdo na Formação Inicial em Educação Física: Uma Análise a Partir da Concepção dos Professores

Por: Andressa Aita Ivo, e .

Conexões - v.15 - n.3 - 2017

Send to Kindle


Resumo

A pesquisa teve por objetivo compreender o jogo como conteúdo na formação inicial em Educação Física, a partir da concepção dos professores responsáveis pelas disciplinas. As discussões procedem de uma análise realizada sobre a conjuntura dos cursos de Licenciatura em Educação Física das Universidades Federais do Rio Grande do Sul, no que tange, especificamente, às disciplinas que tratam do conteúdo jogo. Para tanto, foi realizada análise documental dos Projetos Pedagógicos de Curso (PPC), da matriz curricular e dos programas de disciplinas dos cursos de Educação Física-Licenciatura, além disso, realizamos entrevistas semiestruturada com os docentes responsáveis pelas disciplinas em que o conteúdo jogo é proposto.   Constatou-se que os docentes têm conseguido avanços para a legitimação do conteúdo jogo na formação inicial em Educação Física, tais como a participação e empenho dos docentes na elaboração do PPC, de modo geral, representou um ganho para a área, possibilitando a inclusão de disciplinas no currículo, maior visibilidade e consequentemente um espaço para o conteúdo jogo.

Referências:

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Persona, 1977.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 7, de 31 de março de 2004. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física, em nível superior de graduação plena. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/ces0704edfisica.pdf. Acesso em: 10 set. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução nº 1 de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf. Acesso em: 10 set. 2014.

CAILLOIS, Roger. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Lisboa: Cotovia, 1990.

ELKONIN, Daniil. Psicologia do jogo. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

FRANÇA, Tereza Luiza de. A construção do saber na formação profissional em lazer. In: ISAYAMA, Helder F. (Org.). Lazer em estudo: currículo e formação profissional. Campinas: Papirus, 2010.

HUIZINGA, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 1980.

LAVEGA BURGUÉS, Pere et al. Os jogos tradicionais no mundo: associações e possibilidades. Licere, Belo Horizonte, v.14, n. 2, jun. 2011.

MAY, Tim. Teoria social e pesquisa social. In: MAY, Tim. Pesquisa social: questões, métodos e processos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 43-85. p. 205-231.

OLIVEIRA, Rafael. Problemas e soluções da educação física escolar: um estudo bibliográfico. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

PEREZ GOMEZ, Angel. O pensamento prático do professor: a formação do profissional como profissional reflexivos. In: NOVÓA, A. Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

PIMENTA, Selma Garrido. De professores, pesquisa e didática. Campinas: Papirus, 2002.

RIO GRANDE DO SUL (Estado). Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul (CPERS). O ensino público pede socorro: pesquisa nas escolas públicas da rede estadual, 2010.

SOARES, Carmen Lúcia et al. Metodologia do ensino da educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação: São Paulo: Atlas, 1987.

VAGO, Tarcísio Mauro. Esporte da escola, esporte na escola: da negação radical à tensão permanente - um diálogo com Valter Bracht. Movimento, Porto Alegre, n. 5, p. 4-17, 1996.

VEIGA, Ilma Passos. Projeto político-pedagógico: continuidade ou transgressão para acertar? In: CASTANHO, L. M. (Org.). O que há de novo na educação superior: do projeto pedagógico à prática transformadora. Campinas: Papirus, 2000. p. 183-219.

Endereço: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8647525

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.