O Jogo-relacional de Um Grupo de Pacientes Psicóticos em Atividade Física: Um Estudo Psicanalítico

Por: Maria Cristina Zago.

109 páginas. 2009 08/02/2007

Send to Kindle


Resumo

A Psicologia do Esporte, tem estudado as dinâmicas grupais em equipes esportivas, analisando as relações inter-pessoais entre atletas, ou a influência de líderes e técnicos sobre a equipe, enquanto outras pesquisas estudam a influência dos participantes indiretos do ambiente esportivo, constituído, por exemplo, por familiares, amigos, cônjuges. As pesquisas têm analisado o processo de comunicação grupal de modo unidirecional, e desconsiderando o atleta como um sujeito ativo, e não passivo, onde seu comportamento é resultado direto dos estímulos apresentados pelo meio. Acredita-se que compreender as produções dos sentidos subjetivos, e como se organizam os processos de comunicação em uma equipe esportiva, são relevantes para compreendermos as configurações subjetivas, tanto da subjetividade grupal, como dos atletas individualmente.Tanto a subjetividade individual como a grupal passam por processos de constante transformação de forma a buscar um equilíbrio que considere as necessidades individuais e grupais ao mesmo tempo. Esse estudo teve como objetivo analisar a relação e os processos de produção de sentido subjetivo entre técnico e atletas de uma equipe de triatlo, considerando: i) a organização dos processos de comunicação da equipe, a entender a relação atleta - equipe, atleta - atleta, técnico - equipe, técnico – atleta; ii) a compreensão do clima grupal e de que modo ele afeta a subjetividade dos atletas; iii) e de que forma estes processos influenciam no desempenho esportivo. O presente estudo enfatiza o caráter construtivo – interpretativo e dialógico do conhecimento, a partir da interpretação de González Rey sobre pesquisa qualitativa. A pesquisa de campo constituiu-se por um acompanhamento de cinco meses de 8 atletas e um técnico de uma equipe de triatlo, em uma cidade do interior de São Paulo, e que participa de competições regionais, nacionais e internacionais. Para a realização deste estudo os instrumentos utilizados foram: dinâmica conversacional, termo utilizado para enfatizar o caráter processual e aberto das relações com o participante; complemento de frases, que permitiu adquirir informações sobre a produção de sentido do sujeito; e um diário de campo. Os instrumentos forneceram indicadores de sentido subjetivo, que em nossa análise, nos levou `a construção dos seguintes núcleos de sentidos subjetivos: i) o impacto da subjetividade do técnico na constituição da equipe; ii) o momento competitivo e sua influência na configuração subjetiva da equipe; e iii) a interferência da família na formação da subjetiva do atleta. O impacto de cada um desses núcleos de sentido subjetivo sobre o atleta e a equipe foram os principais resultados dessa pesquisa, onde a produção de sentido subjetivos do técnico teve forte influência no processo de comunicação entre ele com o atleta, equipe, e familiares do atleta. A disputa do técnico pela atenção e reconhecimento dos participantes diretos e indiretos, criou um ambiente de competição intra-pessoal, gerando individualismo, ciúme e inveja. Esses indicadores quando associados a outros existentes no ambiente competitivo, como a exaltação do vencedor, desvalorização do derrotado e o imediatismo, configuram uma subjetividade social, que representa a sociedade contemporânea.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?listaDetalhes%5B%5D=1287&listaDetalhes%5B%5D=1645&listaDetalhes%5B%5D=1558&processar=Processar

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.