O Jogo Tradicional no Contexto Atual da Quarta Colônia de Imigração Italiana no Rio Grande do Sul

Por: e .

Motrivivência - v.31 - n.58 - 2019

Send to Kindle


Resumo

Este artigo tematiza os jogos tradicionais como manifestações culturais produzidas pela humanidade. Objetivamos compreender os sentidos atribuídos aos jogos tradicionais na atualidade por sujeitos sociais que vivenciaram o processo de transformação de Sociedades consolidadas com a colonização italiana no Rio Grande do Sul. Realizamos pesquisa de campo e documental. Os jogos tradicionais estiveram presentes no cotidiano das colônias italianas desde as primeiras décadas da colonização, nas residências das famílias, nos bolichos e nos campos abertos. Na década de 1960, foi iniciado um movimento para construção de sedes, as Sociedades, resultantes do processo de transformações políticas e econômicas. Na atualidade, identificamos um processo de retorno dessas manifestações aos bolichos e às residências, como recusa à imposição de regras, ao controle do tempo, aos modos de se vestir, comportar-se, gesticular e comunicar-se. Os jogos tradicionais assumem sentido na vida dos jogadores quando possibilitam exteriorizar e materializar a interioridade.

Referências

ASSMANN, Alice Beatriz; MAZO, Janice Zarpellon. Configurações de identidades étnicas em associações esportivas: práticas e representações culturais. Movimento, Porto Alegre, v. 23, n. 2, p.503-516, jun. 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2017.

ASSMANN, Alice Beatriz; MAZO, Janice Zarpellon; SILVA, Carolina Fernandes da. Sport: uma concepção emergente no jornal Kolonie. Motrivivência, Florianópolis, v. 29, p.77-91, dez. 2017. Disponível em: . Acesso em: 03 fev. 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1990. Tradução de Augusto Pinheiro e Luis Antero Reto.

BOSI, Alfredo. A Cultura como tradição. In: BORNHEIM, Gerd et al (Org.). Cultura Brasileira: tradição/contradição. Rio de Janeiro: Zahar, 1987. p. 31-58.

BRASÍLIA. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades: São João do Polêsine. 2017. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

CAILLOIS, Roger. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Lisboa: Cotovia, 1990. Tradução de José Garcez Palha.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2010. p. 295-316. Tradução de Ana Cristina Nasser.

COSTA, Rovílio. Imigração italiana no Rio Grande do Sul: vida, costumes e tradições. Porto Alegre: EST/ EDUCS, 1986.

DOSANJOS, José Luis; VÁZQUEZ, Manuel Hernández. Jogo, lazer e manutenção identitária de imigrantes espanhóis no Brasil. Athlos, Rioja, v. 12, n. 12, p.1-17, jul. 2017. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2018.

DUARTE, Jorge. Entrevista em profundidade. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (Org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006. p. 62-82.

DUARTE, Newton. Formação do indivíduo, consciência e alienação: o ser humano na psicologia de Leontiev. Caderno Cedes, Campinas, v. 24, n. 62, p.44-63, abr. 2004. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2017.

ELKONIN, Daniil B. Psicologia do Jogo. São Paulo: Martins Fontes, 1998. Tradução de Álvaro Cabral.

FERREIRA, Maria Beatriz Rocha; VINHA, Marina (Org.). Celebrando os jogos, a memória e a identidade: XI Jogos dos Povos Indígenas. Porto Nacional – Tocantins, 2011. Dourados: UFGD, 2015.

FRANCO, Maria Laura P. B. Análise de Conteúdo. Brasília: Liber Livros, 2005.

GAMBOA, Silvio Sanchez. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. Chapecó: Argos, 2007.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 6. ed. São Paulo: Perspectiva, 2010. Tradução de João Paulo Monteiro.

JAOUEN, Guy et al (Org.). Juegos Tradicionales y Salud Social. Madrid: Asociación Cultural La Tanguila, 2009.

KUENZER, Acácia Zeneida. Desafios teórico-metodológicos da relação trabalho educação e o papel social da escola. In: FRIGOTTO, Gaudêncio (Org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. Petrópolis: Vozes, 1998. p. 55-75.

LAVEGA, Pere (Ed.). Juegos tradicionales y sociedade em Europa. Barcelona: Asociación Europea de Juegos y Deportes Tradicionales, 2006.

MARIN, Elizara Carolina et al. Jogos tradicionais no Estado do Rio Grande do Sul: manifestação pulsante e silenciada. Movimento, Porto Alegre, v. 3, n. 18, p.73-94, jul. 2012. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2017.

MARIN, Elizara Carolina; GOMES-DA-SILVA, Pierre Normando (Org.). Jogos tradicionais e educação física escolar: experiências concretas e sedutoras. Curitiba: CRV, 2016.

MARIN, Elizara Carolina; RIBAS, João Francisco Magno (Org.). Jogo Tradicional e Cultura. Santa Maria: Editora UFSM, 2013.

MARIN, Elizara Carolina; STEIN, Fernanda. Jogos tradicionais e manifestações coletivas: relações de conflito entre tradição e modernidade. Pensar A Prática, Goiânia, v. 18, n. 4, p.995-1008, out. 2015. Disponível em: . Acesso em: 27 mar. 2016.

MARTINS, José de Souza. Expropriação e violência: a questão política no campo. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 1991.

MAZO, Janice Zarpellon et al. Associações Esportivas no Rio Grande do Sul: lugares e memórias. Novo Hamburgo: FEEVALE, 2012.

PARLEBAS, Pierre. El destino de los juegos: herencia y filiación. In: LAGARDERA, Francisco; LAVEGA, Pere (Org.). La Ciencia de la Acción Motriz. Lleida: Edición de La Universidad de Lleida, 2004. p. 59-76.

PEREIRA, Ester Liberato; MAZO, Janice Zarpellon; LYRA, Vanessa Bellani. Corridas de cavalo em cancha reta em Porto Alegre (1852/1877): uma prática cultural-esportiva sul-rio-grandense. Revista da Educação Física da UEM, Maringá, v. 21, n. 4, p.655-666, 2010. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2017.

SANTIN, Silvino. Sonhos diferenciados ou desfeitos: Silveira Martins, a Quarta Colônia, no cenário da imigração italiana no Rio Grande do Sul. In: MARIN, Joel (Org.). Quarta Colônia: novos olhares. Porto Alegre: EST, 1999. p. 11-24.

SANTOS, Gisele Franco de Lima. Jogos Tradicionais e Educação Física. Londrina: EDUEL, 2012.

SCHUCH, Heitor. As Sociedades alemãs: a cultura através dos tempos. Porto Alegre: Corag, 2007.

SILVA, Ana Márcia; FALCÃO, José Luiz Ciqueira. Práticas corporais na experiência quilombola: um estudo com comunidades do estado de Goiás/Brasil. Pensar A Prática, Goiânia, v. 15, n. 1, p.52-70, jan. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.

THOMPSON, Paul. A voz do passado: história oral. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

ZIMMERMANN, Ana Cristina; SAURA, Soraia Chung (Org.). Jogos Tradicionais. São Paulo: Pirata, 2014.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/56575

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.