O Lazer e a Residência Secundária em Angra dos Reis-rj

Por: Ana Paula Cunha Pereira.

2012 13/12/2012

Send to Kindle


Resumo

Esta pesquisa aborda discussões acerca do lazer da cidade de Angra dos Reis-RJ, interligado ao negócio da residência secundária. No Brasil, os estudiosos conceituam residência secundária como imóveis particulares usufruídos por pessoas que possuem residência permanente em outro lugar. Este conceito se aplica em parte a realidade de Angra de dos Reis, pois apresenta lacunas quanto aos aspectos relevantes que envolvem a residência secundária, tais como: distribuição, características, função, planejamento urbano e impactos sociais. Nesta pesquisa, considerou-se especificamente, o que torna a residência secundária uma problemática passível de reflexão para o lazer do morador local, ou seja, as residências secundárias que seguem o modelo das gated communities. Trata-se de residências fechadas, cerceadas por muros, com sistemas de segurança que controlam entradas e saídas, com infraestrutura de lazer e comércio exclusivas. Inaugurada-nos E.U.A no início da década de 1980, este tipo de tipo de residência secundária, se iguala as inúmeras existentes em Angra dos Reis, ocupando em sua maioria, áreas de praias, cachoeiras e matas da região. Um elemento fundamental da residência secundária que interfere no lazer da população local é a exclusividade dos espaços naturais, vendida pelo mercado imobiliário. Com base nestes pressupostos, o objetivo desta pesquisa foi analisar as relações sociais estabelecidas entre moradores locais e residentes secundários considerando um interesse em comum nestes grupos de padrões socioeconômicos diferenciados: a fruição do lazer em espaços naturais. Por meio da etnografia, realizaram-se observações e entrevistas com moradores locais, residentes secundários e dirigentes de instituições públicas e privadas, que servirão como fontes primárias dos dados. Utilizaram-se também documentos de instituições e fotos do bairro Frade como fontes secundárias dos dados. Esta sistemática para obtenção dos dados ocorreu em quatro etapas (totalizando 8 meses). A escolha do bairro localizado no 2° Distrito da região, seguiu o modelo de seleção denominado de "escolha intencional". Embora, esse critério seja propenso a críticas de cunho ético, a experiência com o campo confirmou a possibilidade de lidar com os dilemas surgidos das interações entre pesquisador-pesquisados. A realidade do lazer no Frade, revelou a gênese e o funcionamento de uma rede de relações, sustentadas não somente por moradores locais e residentes secundários, mas também, por dirigentes de condomínios, instituições públicas (Municipais e Estaduais) e ONG's ambientais. Centrada na troca de favores, tal rede vem contribuindo para manter os espaços naturais sob o controle do negócio da residência secundária. Práticas de lazer, como a pesca artesanal, a pesca oceânica e o golfe, compartilhadas entre os moradores locais e os residentes secundários, mostraram-se objetos de trocas materiais e simbólicas imprescindíveis favorecendo a criação de regras, negociações e estratégias para inserir ou excluir grupos da rede de relações sociais do lazer de Angra dos Reis. Os conceitos teóricos que contribuíram para a compreensão do funcionamento desta rede foram: "residência secundária" "capital social", "gated community" (comunidades de condomínios fechados desmembrado em comunidades de lazer, de prestígio e de segurança), "locality" (localidade), "relações de simbiose e oposição". Os conceitos empíricos emergidos no campo foram: "inibição", "coibição", "constrangimento" e "mundo dos contatos". 

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000902082&opt=1

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.