O Lazer Facilitando a Mudança de Papel Ocupacional de Um Interno de Hospital Psiquiátrico de Belo Horizonte

Por: .

XXV ENAREL - Encontro Nacional de Recreação e Lazer

Send to Kindle


Resumo

O trabalho em saúde mental, muitas das vezes, não produz resultados rápidos, especialmente quando ao se considerar que o usuário de 46 anos tem 30 anos
de internação em hospitais psiquiátricos. Faz-se comum a postura do usuário como objeto do desejo do Outro (enfermeiros, médicos, técnicos em geral, fa mília), sendo-lhe estranho qualquer ato seu que exija uma posição desejante e autônoma. Assim, apresentam-se, neste trabalho, resultados subjetivos: a bus ca do que agrada ao usuário, a verbalização deste sobre o que é satisfatório ou não, maior contato visual e, fora do hospital, o usuário já não necessita tanto de sua “capa” (mãos sobre o rosto). Conclui-se que as atividades de lazer utilizadas ao partirem do histórico ocupacional do usuário foram-lhe mais convidativas, aumentando a possibilidade de seu engajamento nelas. De forma lúdica, a partir da interação “informal proporcionada pelo lazer, o usuário pôde se abrir um pouco mais e movimentar-se mais em direção a ser um sujeito, usuário de um serviço e de uma cidade, parte de uma sociedade. Assim, o lazer no processo de desinstitucionalização mostrou-se um recurso importante na construção de vida no território para este usuário há tanto tempo internado, além de contribuir com sua transição de interno a morador de uma cidade.
 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.