O Lazer, Seus Espaços e a Necessidade da Animação Cultural

Por: Adriana Stadnik, António Camilo Teles Nascimento Cunha e Beatriz Oliveira Pereira.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo


As atividades de lazer estão dividas em seis diferentes conteúdos culturais
(interesses): artísticos, intelectuais, manuais, sociais, físicos (DUMAZEDIER, 1980)
e, turísticos (CAMARGO, 1994). Estes seis interesses devem ser compreendidos
como as aspirações que predominam na atividade. A classificação é bastante
abrangente e acaba por atender a uma necessidade lógica de estudo e organização
das atividades de lazer, da mesma forma, uma outra função dessa classificação,
é dar norte às políticas públicas na área do lazer, a fim de orientá-las e estruturá-
las. O que se vê é que os espaços de lazer são dotados de uma unidade funcional,
que é, freqüentemente, dispersa de forma arbitraria. São, por exemplo, os espaços
verdes, parques com áreas de vegetação, bosques; espaços azuis, locais com
água, lagos, piscinas, rios, mar, apropriados à prática de esportes náuticos ou à
apreciação pura e simples; espaços de jogos, quadras poliesportivas, salas de
jogos, ludotecas; zonas de repouso, áreas para piqueniques, instalação de redes
de descanso; áreas de passeio, trilhas, shoppings, calçadões; vistas pitorescas,
mirantes, bancos colocados em locais que proporcionem este tipo de vista;
locais para manifestações artísticas, anfiteatros, teatros, museus, bibliotecas;
locais para manifestações esportivas, velódromos, ginásios de esportes; centros
de reuniões, centros de convenções. Os espaços de lazer estão em migalhas,
não seguindo uma visão de conjunto. A unificação desses espaços, favoreceria
aos diferentes meios sociais a utilização destes locais, proporcionando um
equilíbrio da cultura do corpo e do espírito, além das culturas artesanal, artística
e intelectual. É a possibilidade da polivalência dentro de um mesmo espaço.
Esta ação auxilia na minimização da dicotomia presente entre o corpo e a
mente, a teoria e a prática, o esporte e a arte, o lazer e o trabalho, a comunidade
e o ambiente escolar. MARCELLINO (2002, p.25), afirma que (...) democratizar o
lazer implica democratizar o espaço. Mais do que isso, se o assunto for pensado
em vida diária, no cotidiano da população, não há como fugir: o espaço para o
lazer se desenvolver é o espaço urbano. A idéia do presente artigo é apresentar
alguns espaços de lazer e lembrar que esses espaços são, normalmente, criações
artificiais de uma política cultural que necessita ser traduzida numa programação
concreta, atendendo às reais necessidades da população, por meio da animação
cultura

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/78_Anais_p447.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.