O Legado Para os Comunicadores

Por: Carlos Padeiro.

Revista Comunicação Empresarial - v.26 - n.97 - 2016

Send to Kindle


Resumo

O mercado aprende com a Copa de 2014 e, de olho nas Olimpíadas, adota novas estratégias para a relação entre profissionais da mídia e o posicionamento de marcas

Organizar um megaevento esportivo é desafiador para qualquer país. E foram poucos os que sediaram a Copa do Mundo de futebol e as Olimpíadas na sequência, em um intervalo de dois anos. Aconteceu com o México (Olimpíadas de 1968 e Copa de 70), a Alemanha (Olimpíadas de 72 e Copa de 74) e os Estados Unidos (Copa de 94 e Olimpíadas de 96). Agora chegou a vez do Brasil, onde tivemos o Mundial de 2014 realizado em 12 cidades, e o Rio de Janeiro, que se prepara para receber os Jogos Olímpicos e Paralímpicos deste ano. Se por um lado é uma missão e tanto, por outro ficam os legados, inclusive para a comunicação.

Entre 2010 e 2014, Saint-Clair Milesi foi o responsável por estruturar o departamento de Comunicação do Comitê Organizador Local (COL) da Copa, com atribuições na relação com a mídia, nas relações públicas, na produção de conteúdo e na gestão de mídias sociais. Assim, ele acompanhou de perto a atuação dos profissionais por todo o Brasil. A conclusão do especialista, cuja formação acadêmica ocorreu nos Estados Unidos, é que houve uma qualificação da mão de obra e dos serviços de comunicação no país.

Endereço: http://www.aberje.com.br/revista/o-legado-para-os-comunicadores/

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.