O Marketing no Voleibol Brasileiro Masculino no Período de 1980 à 1994.

Por: Ana Beatriz Latorre de Faria Pinheiro.

238 páginas. 1995 27/10/1995

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo teve como objetivo analisar a atuação do marketing no voleibol brasileiro masculino, no período de 1980 a 1994. Procurou-se, para tanto, levantar as estratégias e procedimentos utilizados pelos profissionais desse campo, assim como as conseqüências decorrentes da favorável relação custo-benefício proporcionada aos investidores. Caracterizada como uma pesquisa histórica, baseou-se em fontes primárias e secundárias, tendo sido entrevistadas personalidades envolvidas com os principais aspectos relatados e consultados documentos originais. O teor das respostas, juntamente com as informações provenientes de uma ampla revisão bibliográfica, permitiram a sistematização de dados dispersos relativos ao tema abordado. Com base nas questões previamente formuladas, foram apresentados os seguintes resultados: ,1) A ascensão do voleibol foi verificada, tendo em vista os seguintes pontos principais: a) as conquistas inéditas obtidas nas principais competições internacionais; b) os resultados positivos em diferentes pesquisas de opinião; c) o aumento do público nos jogos e da audiência nas transmissões televisivas; d) o aumento da procura de escolinhas para iniciação e de atletas registrados no País. 2) O patrocínio às equipes nacionais começou a ser desenvolvido de forma acentuada, em 1980, com a formação de equipes integralmente mantidas por empresas e com o apoio das mesmas a clubes tradicionais. Foi verificado que os retornos publicitários obtidos foram bastante satisfatórios, apesar da extinção de algumas equipes potencialmente vencedoras. Assistiu-se, também, a um processo de profissionalização dos atletas, cujas imagens foram amplamente divulgadas pela mídia. 3) Os Campeonatos Nacionais se modificaram, ao longo do período estudado, com o intuito de atingir um grau de profissionalismo, cada vez mais alto, voltado sobretudo para o alcance de maiores retornos publicitários para os investidores. 4) A mídia influiu no processo de crescimento e consolidação do marketing, uma vez que foi o veículo responsável pela divulgação dos produtos dos diferentes patrocinadores. Amplificou as conquistas obtidas e atraiu novos espectadores e investidores, conduzindo os jogadores ao patamar de ídolos. 5) O patrocínio das empresas à seleção brasileira masculina, atendeu às necessidades de ordem econômica que impediam a sua evolução. Foi verificado que o Estado como gerador de recursos, mostrava-se ineficiente e, ainda assim, regulamentava as ações das Confederações, inviabilizando a execução de planos traçados. O Banco do Brasil foi, dentre os patrocinadores, o que permitiu o desenvolvimento de um trabalho a longo prazo. Tendo em vista as considerações apresentadas, foram extraídas as seguintes conclusões: ,1) O voleibol caracteriza-se como um desporto-espetáculo. A partir do momento que passou a figurar entre as maiores forças mundiais, atendeu, amplamente, ao propósito de servir como veículo para divulgação de diferentes produtos. 2) O aperfeiçoamento na organização dos Campeonatos Nacionais, incluindo a contratação de agências especializadas em eventos esportivos, que introduziram inovações, com o intuito de atrair mais adeptos, consumidores em potencial, foi decorrente da necessidade de sua transformação em desporto-espetáculo. 3) O voleibol passou por um processo de mercadorização, sendo comercializado sob a forma de diferentes produtos, consumidos avidamente pelos fãs, envolvidos por campanhas publicitárias. 4) A mídia criou e cristalizou ídolos esportivos ao enaltecer suas performances e qualidades, e ao vender as imagens de tais modelos, construídas com base nos padrões de eficiência determinados pela sociedade capitalista. Para atender às necessidades impostas pelo mercado, modificou, inclusive, as características do desporto, tornando-o mais atrativo ao consumo. 5) A profissionalização do voleibol, atingiu todos os setores responsáveis pelo seu desenvolvimento. Foi decorrente da sua manutenção como desporto-espetáculo, o que não podia prescindir de profissionais especializados, para manter a qualidade do produto a ser oferecido ao mercado. 6) Os amplos espaços publicitários proporcionados pelo voleibol, destinaram-se, unicamente, a atender interesses lucrativos dos comerciantes que se estabeleceram no desporto. 7) A participação do marketing no voleibol resolveu as dificuldades de ordem financeira que impediam a sua evolução. No entanto, os interesses comerciais, colocados em plano prioritário, trouxeram conseqüências indesejáveis. Além disso, foi registrada a incerteza da duração dos patrocínios e a concentração das equipes nos Estados Brasileiros de maior poder aquisitivo, o que imprime um caráter elitista.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=738&listaDetalhes%5B%5D=738&processar=Processar

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.