O Músculo e a Contração Muscular

Por: Maurício Leal Rocha.

Introdução à Moderna Ciência do Treinamento Desportivo.

Send to Kindle


Resumo

Embriològicamente, uma célula única, ao mesmo tempo, sente e reage, às modificações do meio. (célula de Parker). S

ó muito mais tarde se dicotomizam as funções: a célula nervosa recebe e conduz o estímulo, enquanto o músculo efetua ou age se contraindo.

Esta diferenciação deu ao músculo a individualidade morfofuncional — capacidade de desenvolver tensão, ao mesmo tempo que continuava gozando de outras propriedades físicas: distensibilidade, elasticidade, viscosidade etc.

A massa muscular constitui cerca de 30 a 40% (43% segundo Vierordt, Barcroft e C. L. Hoagland (1946) do pêso corporal do homem, envolve as estruturas ósseas — músculos somáticos ou esqueléticos — e compõe as vísceras e os vasos sangüíneos — músculos viscerais.

As diferenças estruturais vinculam-se a características funcionais diversas.

Os músculos estriados realizam atividades telecinélicas e os lisos cumprem tarefas viscerais ou vegetativas. (Neste particular, apenas o músculo cardíaco, difere dos demais. Mantém estrutura estriada como a dos músculos esqueléticos e age funcionalmente como u m músculo visceral.)

Músculos estriados participam vivamente de nossa vida animal ou de relação (Bichat) e dependem da nossa vontade (músculos voluntários).

Sobre êles se concentrará nossa atenção neste curso.  

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.